Esporte

Diego Hypólito pede cuidado com generalização após escândalo na ginástica

Em meio a repercussão do escândalo de abuso sexual na ginástica, Diego Hypólito saiu em defesa dos treinadores que não têm quaisquer relações com o caso. O bicampeão mundial e medalhista de prata na Olimpíada do Rio quer afastar o que diz ser uma mancha sobre o esporte.

“A gente não pode colocar todo mundo dentro do mesmo bolo, a própria situação e os treinadores. Todos eles estão todos pagando o pato como estivessem fazendo a mesma coisa. Tem pessoas boas na mesma área”, defendeu Diego Hypólito, em entrevista à rádio Jovem Pan.

O ginasta, que não compete internacionalmente há um ano após passar por uma cirurgia na coluna, procurou desassociar o nome de Fernando de Carvalho Lopes, técnico acusado de assédio, do seu dia a dia e da elite da ginástica brasileira.

“Ele [Fernando de Carvalho Lopes] não era frente do COB [Comitê Olímpico Brasileiro], era do clube dele. Por sinal foi uma coisa mal explicada, parece que continua no mesmo clube em São Bernardo. São dois clubes, um é o MESC [clube de Fernando] e o outro é o meu clube. Tinha gente que desconfiava, óbvio”, acrescentou.

O caso de Lopes ganhou um novo episódio no último domingo (6), após o Fantástico, da TV Globo, revelar que um ex-atleta prestou depoimento à DDM (Delegacia da Mulher, da Criança e do Adolescente) de São Bernardo do Campo afirmando que o ex-treinador fotografava e filmava atletas nus.

A Polícia Civil cumpriu no último sábado (5) um mandado de busca e apreensão na casa dos pais de Lopes, no ABC Paulista. Durante a operação, os agentes apreenderam CDs, DVDs, pen drives, uma fita cassete e um HD externo. A delegada Tereza Gurian deixou a casa sem dar entrevistas.

To Top