Atualize seu Cadastro Único e evite o cancelamento dos benefícios Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e do Tarifa Social. Foi prorrogado para o dia 17 de agosto o prazo para algumas famílias regularizarem a situação por meio da Averiguação Cadastral no Cadastro Único (CadÚnico) e, assim, evitarem o cancelamento dos benefícios do Bolsa Família e da Tarifa Social de Energia Elétrica (TSEE).

De acordo com o Ministério do Desenvolvimento Social (MDS), estes beneficiários fazem parte do grupo 3 da Averiguação Cadastral, ou seja, famílias que apresentaram algum tipo de inconsistência de renda proveniente de dados do mercado de trabalho, recebimento de benefícios previdenciários ou do Benefício de Prestação Continuada (BPC), contribuições previdenciárias e óbito. Segundo o MDS, mais de 720 mil famílias integram esse grupo no País.

As famílias incluídas nos cinco grupos de Averiguação e Revisão Cadastral estão sendo convocadas para atualizarem seus cadastros de maneira escalonada.

Averiguação Cadastral

A Averiguação Cadastral agrega as pessoas com cadastros atualizados e que foram identificados com diferentes tipos de inconsistência.Cada grupo de Averiguação Cadastral possui prazos diferentes para mobilização, atualização e repercussão nos benefícios e nos cadastros das famílias.

A Averiguação Cadastral das famílias tem como objetivo verificar as informações registradas, por meio do cruzamento dos dados fornecidos pelos usuários com outras bases de dados do Governo do Brasil. Em caso de inconsistências nas informações, as famílias são chamadas para atualizarem seus dados junto às secretarias de assistência social dos municípios.

CadÚnico

O Cadastro Único para Programas Sociais do Governo do Brasil é uma ferramenta que identifica e caracteriza as famílias de baixa renda do País, permitindo que a realidade socioeconômica dessa população seja conhecida pelo governo. A execução do Cadastro Único é de responsabilidade compartilhada entre o governo do Brasil, os estados, os municípios e o Distrito Federal.

Principais dicas para evitar cancelamento do Bolsa Família em 2018

Principais dicas para evitar cancelamento do Bolsa Família em 2018. Caso haja ausência de saque ou movimentação de conta por mais de seis meses, o MDSA entende que a família não precisa da assistência financeira e realiza o desligamento automaticamente.

Como já foi dito, o Governo Federal agora tem condições de realizar um pente-fino mensal no Bolsa Família, graças a possibilidade de cruzar informações de diferentes bancos de dados. Essa verificação também permite descobrir quais famílias recebem renda acima da declarada e continuam inscritas no programa social.

O Ministério do Desenvolvimento Social e Agrário passou um pente-fino no Bolsa Família. Após analisar cadastros, constatou-se que que 1,136 milhão de benefícios se encontram em situação irregular. Desses, 469 mil foram cancelados e outros 667 mil bloqueados.

A fiscalização do MDSA está mais rigorosa, principalmente porque agora é possível cruzar informações de diferentes bancos de dados, como CadÚnico, INSS, Rais, Caged e CNPJ.

Os principais motivos para cancelamento do Bolsa Família são:

1 – Renda acima da declarada

Como já foi dito, o Governo Federal agora tem condições de realizar um pente-fino mensal no Bolsa Família, graças a possibilidade de cruzar informações de diferentes bancos de dados. Essa verificação também permite descobrir quais famílias recebem renda acima da declarada e continuam inscritas no programa social.

Muitas famílias estão tendo o benefício cancelado porque apresentam renda acima do valor permitido pelo programa. A suspensão aconteceu, sobretudo, nos casos de renda per capita mensal superior a R$440,00.

Entre as famílias que recebem de R$170 a R$440 por pessoa, o MDSA realizou apenas o bloqueio do Bolsa Família.

Os cancelamentos por motivo de renda foram mais frequentes nas regiões Sul e Sudeste o país.

2 – Ausência de saque

O dinheiro do Bolsa Família deve ser sacado em no máximo 90 dias. Caso haja ausência de saque ou movimentação de conta por mais de seis meses, o MDSA entende que a família não precisa da assistência financeira e realiza o desligamento automaticamente.

3 – Cadastro desatualizado

As famílias que recebem o benefício devem ficar atentas para não perder o prazo de atualização cadastral Bolsa Família. Esse procedimento é obrigatório a cada dois anos, pois permite renovar informações como endereço, escola, renda e novos membros do núcleo familiar.

O responsável pelo benefício pode verificar o aviso sobre a atualização cadastral no extrato do Bolsa Família. Se ele não realizar a atualização cadastral dentro do prazo, ele fica com o auxílio financeiro retido e não pode sacar.

Caso alguma irregularidade seja constatada na atualização cadastral, a família é imediatamente desligada do programa.

4 – Informações incorretas

Muitas famílias estão caindo no pente-fino do Bolsa Família injustamente. Para não se tornar mais uma vítima, é muito importante verificar se as informações cadastradas no CadÚnico estão corretas. Qualquer mudança na condição familiar também precisa ser informada, inclusive a troca da criança de escola.

O seu Bolsa Família foi cortado? Não se desespere. Procure o CRAS mais próximo e verifique a situação do benefício. Em alguns casos, é possível reverter a situação e voltar a receber o dinheiro.u

Atualize seu Cadastro Único e evite o cancelamento dos benefícios Bolsa Família, Minha Casa Minha Vida e do Tarifa Social
To Top