SÃO PAULO, SP (FOLHAPRESS) – Sigla da presidenciável Vera Lúcia, o PSTU (Partido Socialista dos Trabalhadores Unificado) decidiu pregar no segundo turno que seus filiados votem “no 13, sem nenhum apoio político” a Fernando Haddad (PT).

A sigla divulgou nota nesta quarta-feira (10) chamando seus apoiadores para “derrotar Jair Bolsonaro [PSL] nas urnas e nas ruas” e para “preparar a greve geral em defesa da aposentadoria, dos direitos trabalhistas e do emprego”.

“No segundo turno, seja Jair Bolsonaro, do PSL, ou Fernando Haddad, do PT, se eleitos, atacarão nossos direitos e condições de vida para favorecer os banqueiros e grandes empresários, que os financiam e apoiam”, afirmou o PSTU.

Apesar das críticas a ambos e de falar que fará oposição a qualquer um dos vencedores, o partido é contra Bolsonaro porque diz que ele “defende um projeto de ditadura”, a tortura e “um ponto final em todos os ativismos”.

“O Brasil precisa de uma rebelião operária e popular e de um projeto socialista”, disse a legenda, repisando o discurso de Vera Lúcia durante a campanha eleitoral.

Ela terminou o primeiro turno em 11º lugar, com 55.762 votos (0,05% do total).