Minas Gerais

Justiça obriga Saúde a transferir vítima de explosão em casamento para hospital especializado em MG

A Justiça de Guaranésia (MG) determinou que a Prefeitura de Cabo Verde (MG) consiga uma vaga em um hospital especializado para uma das vítimas de um acidente com um galão de álcool que explodiu em uma festa de casamento na zona rural de São Pedro da União (MG) na madrugada de sábado (13). Uma pessoa morreu e outras sete ficaram feridas. Pelo menos três delas seguem internadas na Santa Casa de Guaxupé (MG). Segundo o secretário de Saúde de Cabo Verde, Marcelo Silvestre Rodrigues, o município tenta a transferência da vítima, mas a informação é de que não há vaga.

Lúcia Maria da Silva Cecílio, de 47 anos, que é de Cabo Verde, teve de 60 a 69% do corpo queimado. Ela está internada na UTI da Santa Casa de Guaxupé. A decisão do juiz plantonista Bruno Moya Raimundo determina que o município de Cabo Verde providencie a transferência da vítima para o Hospital João XXIII, especializado em queimados, ou que ela seja encaminhada para outra unidade especializada em queimados no país. A decisão diz ainda que, se for preciso, que seja feita a compra de uma vaga em um hospital particular, sob pena de multa diária de R$ 1 mil, limitada até R$ 30 mil.

Segundo o secretário de Saúde de Cabo Verde, Marcelo Silvestre Rodrigues, o município tenta a transferência da paciente para o Hospital João XXIII, em Belo Horizonte, que é referência em queimados. No entanto, até o início da tarde, a informação era de que não havia vaga.

Em contato com o G1, a assessoria de comunicação do Hospital João XXIII confirmou que por enquanto o hospital não tem possibilidade de receber a paciente na UTI devido à falta de vagas.

O acidente

Uma mulher morreu e outras sete pessoas ficaram feridas, sendo três em estado grave, depois que um galão com álcool explodiu durante uma festa de casamento em São Pedro da União, na madrugada de sábado. Segundo o boletim de ocorrência registrado pela Polícia Militar, o acidente aconteceu quando um garçom do buffet contratado da festa foi abastecer um recipiente com álcool utilizado para derreter queijos e petiscos. Ao abrir o galão, ele não teria percebido que ainda havia chamas no recipiente, o que causou a explosão.

As pessoas que estavam sentadas em uma mesa, logo ao lado do recipiente, foram atingidas pelo fogo. Elas foram socorridas pelos próprios convidados para a Santa Casa de Guaxupé.

A professora Flávia Cristina de Souza, de 35 anos, deu entrada na UTI com queimaduras de 3º grau na cabeça e tórax, mas não resistiu aos ferimentos. Outras três pessoas também deram entrada na UTI com diversas queimaduras. Outras quatro pessoas, incluindo o garçom, sofreram apenas ferimentos leves.

Fonte G1

To Top