Rio de Janeiro

PM reclama de propina de R$ 500 para soltar traficante de Volta Redonda: ‘Não sou mendigo, pô!’

As investigações que levaram às operações Sideros e Confinados, deflagradas nesta terça-feira (16) no Sul Fluminense, apontam que PMs lucravam até R$ 200 mil com as propinas pagas por traficantes “aliados”. Até as 11h, 25 militares foram presos, de um total de 32 mandados de prisão. Agentes prenderam ao todo 88 pessoas, entre PMs e traficantes.

Entre as provas estão gravações de ligações, autorizadas pela Justiça, entre PMs e traficantes que mostravam negociações de resgates de presos e até de escoltas.

Durante a operação, a polícia apreendeu também munições, cocaína e uma grande quatidade de dinheiro em moeda da Venezuela.

Segundo o MP-RJ, pagamentos a policiais militares ocorriam como regra de forma periódica. Isso garantia “a inércia constante dos policiais denunciados, que apenas agiam de forma enérgica contra traficantes de facções rivais àquela pagadora das propinas.”

Nas investigações também foram identificadas situações de prisões e apreensões pontuais, inclusive contra membros “aliados” inadimplentes. As propinas eram acertadas especificamente para cada ocasião, em valores maiores do que os pagamentos periódicos, permitindo a liberação do detido e de suas drogas para revenda.

Segundo as investigações do Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do MP, traficantes pagavam propina para que policiais permitissem a livre venda de drogas em Volta Redonda. Os valores variavam de R$ 200 a R$ 1 mil, pagos geralmente a cada semana ou de 15 em 15 dias a grupos de PMs em viaturas. Os militares também recebiam por resgates a criminosos detidos.

“Os policiais denunciados receberam milhares de reais em propinas, […], o que justifica o patrimônio ostentado por alguns dos denunciados, […] incompatível com suas rendas oficialmente declaradas”, diz a denúncia.

Os policiais são acusados de associação criminosa armada, corrupção, tráfico de drogas e roubo. As operações foram deflagradas a partir de sete denúncias apresentadas pelo MP-RJ, que envolvem os 32 PMs, 57 traficantes de Volta Redonda (com atuação em diferentes graus de hierarquia, dando origem à Operação Sideros) e 13 traficantes de Itatiaia e Resende (Operação Confinados).

Escuta

Um desses episódios aconteceu na noite de 16 de março de 2018, em Volta Redonda. PMs prenderam em flagrante, com drogas, Jhonatan Chagas Cipriano de Souza, o Nenzão. Daniel Rodrigues Rosa liga para Nenzão às 22h36 e recebe a informação de que os militares exigem R$ 5 mil para libertá-lo. Começa, então, uma negociação.

Nenzão- E aí, filho!

Rosa- Oi!

Nenzão- Fala, filho!

Rosa- Como é que tá aí?

Nenzão- Não, os caras, o polícia pegou, me pegou aqui com o, o X-9 pegou, me caguetou, entendeu?

Rosa- Ah.

Nenzão- Eles estão pedindo dinheiro, filho.

Rosa- Quanto tá pedindo?

Nenzão- Pra me liberar, entendeu?

Rosa- Quanto? Quanto?

Nenzão- Pediu cinco.

Rosa- Cinco?

Nenzão- É.

Rosa- Que isso! Isso tudo? Pegaram você com quê?

Nenzão- Não, pegou, me caguetou, entendeu?

Rosa- Ué, mas não pegaram você com nada não?

Nenzão- Oi?

Rosa- Pegou tu com nada não?

Nenzão- Não, veio direto na casa, na minha direção, entendeu?

Rosa- Aí, eles quer cinco mil?

Nenzão- É.

Rosa- Fala pra eles que nós não tem esse valor todo na mão não, cara, muito dinheiro.

Nenzão- (Policial: Quanto que dá pra eles agora?) Ô, filhão! Ele perguntou quanto vocês têm na mão?

Rosa- É, na mão agora, dá pra mandar uns 500 pra ele agora na mão, doido.

Nenzão- (Policial: Pô, manda ele tomar no c* dele, p*rra! TYá de sacanagem? Quinhentos conto, pô! Não sou mendigo não, pô!) Tem como, ele falou que… tem como você pelo menos mandar três mil.

Rosa- Que isso, cara! Muito dinheiro, cara! Mil, fala pra eles, mil.

Nenzão- Oi?

Rosa- Mil, fala pra eles mil na mão agora aí, ó.

Nenzão- (aos PMS): Perguntou se tem como mandar mil e o resto na sequência. Ô!

Rosa- Oi, oi!

Nenzão- Ele perguntou se tem, tem como você pegar, mandar três agora.

Rosa- Fala de novo, fala de novo.

Nenzão- Perguntaram agora se tem como você pegar, mandar três e parcela dois.

Rosa- Mas nós não tem esse dinheiro todo na mão agora não, cara. Final de semana, a gente tá fazendo ainda, fala pra eles que falta nós fazer ainda. Se ele pudesse pegar agora mil agora, depois pegar o resto com nós aí na continuação.

Nenzão acordou com os PMs corruptos sua “soltura” e a liberação da droga, mediante pagamento imediato de R$ 500, e a quantia restante de R$ 1.500 seria providenciada pelo próprio Nenzão dali a 15 dias.

Escolta

Em outra gravação, traficantes contam que policiais fizeram escolta para garantir que drogas fossem vendidas:

Traficante 1: Ele falou assim: pega a carga lá, esconde lá, nós (sic) vai ficar aqui olhando pra vocês não perder a carga.

Traficante 2- Ih! Alá! (risos)

Traficante 1- É, eles quer (sic) ficar com o dinheiro deles.

Traficante 2- Ah, aí, mandou vender a carga pra dá o dinheiro pra eles?

Traficante 1- É.

Fonte G1

To Top