Açúcar bruto toca mínima em 4 semanas na ICE; café arábica sobe

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) - Os contratos futuros do açúcar bruto na ICE recuaram para uma mínima em quatro semanas nesta quinta-feira, pressionados por um possível aumento da produção brasileira na próxima safra e pelos planos de exportações da Índia, enquanto os preços do café arábica avançaram.

O contrato março do açúcar bruto perdeu 0,17 centavo de dólar, ou 1,3 por cento, a 12,84 centavos de dólar por libra-peso, chegando a ser negociado a 12,78 centavos de dólar, mínima em quatro semanas, durante o pregão.

Uma possível produção maior no Brasil na próxima temporada deve impulsionar o oferta global, enquanto as exportações indianas podem também manter o mercado na defensiva, disseram operadores.

A Índia planeja exportar 2 milhões de toneladas de açúcar bruto à China no ano que vem, disse o Ministério do Comércio indiano, como parte de um esforço para cortar os crescentes estoques e amparar o déficit comercial.

O açúcar branco para março caiu 2,20 dólares, ou 0,6 por cento, a 347,10 dólares por tonelada.

O contrato março do café arábica teve alta de 0,75 centavo de dólar, ou 0,6 por cento, a 1,2020 dólar por libra-peso.

As exportações totais de café do Brasil, entre grãos verdes e industrializados, somaram um recorde de 3,74 milhões de sacas em outubro, alta de 29,1 por cento na comparação anual, após a colheita da maior safra da história no país, informou nesta quinta-feira o Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé).

O café robusta para janeiro cedeu 3 dólares, ou 0,2 por cento, a 1.684 dólares por tonelada.

(Por Ayenat Mersie e Nigel Hunt )

Notícias em Destaque