Internacional

Após pouso, sonda da Nasa ativa painéis solares e envia foto da superfície de Marte

Após pousar em Marte nesta segunda-feira (26), a sonda Mars Insight, da Nasa, conseguiu transmitir uma foto nítida da superfície de Marte e emitiu sinais que indicam que os painéis solares estão abertos e coletando a luz do Sol na superfície do planeta vermelho. Segundo a Nasa, isso significa que a espaçonave poderá recarregar as baterias todos os dias, o que é crucial para a missão, que deverá medir abalos sísmicos em Marte. Já a foto foi feita por uma câmera instalada no braço robótico. Nova sonda em Marte vai fazer uma espécie de 'ultrassom' do planeta "A equipe da InSight pode ficar um pouco mais tranquila sabendo que as matrizes solares estão sendo implantadas e recarregando as baterias", disse Tom Hoffman, gerente de projeto da InSight no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, que lidera a missão. "Tem sido um longo dia para a equipe. Mas amanhã começa um excitante novo capítulo para o InSight: operações de superfície e o início da fase de implantação do instrumento", disse. A Insight tem um par de placas solares, com 2,2 metros de comprimento cada uma. Quando abertos, diz a Nasa, ficam do tamanho de um carro conversível dos anos 1960. Em Marte, a luz solar é mais fraca se comparada àquela captada na Terra, porque o planeta vermelho está mais distante do Sol. Entretanto, segundo a agência espacial americana, a sonda está preparada para este cenário: ela produz de 600 a 700 watts em um dia claro, o suficiente para manter os instrumentos operando no planeta. Ainda que a poeira cubra os painéis, o sistema continuará produzindo pelo menos de 200 a 300 watts. Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Próximos passos Nos próximos dias, a equipe da missão vai ativar o braço robótico da InSight e usar a câmera acoplada para tirar fotos do solo. Com essas informações, os engenheiros vão decidir onde colocar, no planeta vermelho, os instrumentos científicos da espaçonave. A Nasa estima que levará de dois a três meses até que esses instrumentos sejam totalmente implantados e possam enviar dados. Enquanto isso, a InSight usará seus sensores meteorológicos e magnetômetro para fazer leituras do local de pouso na Elysium Planitia - sua nova casa em Marte. Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA

Após pousar em Marte nesta segunda-feira (26), a sonda Mars Insight, da Nasa, conseguiu transmitir uma foto nítida da superfície de Marte e emitiu sinais que indicam que os painéis solares estão abertos e coletando a luz do Sol na superfície do planeta vermelho.

Após pousar em Marte nesta segunda-feira (26), a sonda Mars Insight, da Nasa, conseguiu transmitir uma foto nítida da superfície de Marte e emitiu sinais que indicam que os painéis solares estão abertos e coletando a luz do Sol na superfície do planeta vermelho. Segundo a Nasa, isso significa que a espaçonave poderá recarregar as baterias todos os dias, o que é crucial para a missão, que deverá medir abalos sísmicos em Marte. Já a foto foi feita por uma câmera instalada no braço robótico. Nova sonda em Marte vai fazer uma espécie de 'ultrassom' do planeta "A equipe da InSight pode ficar um pouco mais tranquila sabendo que as matrizes solares estão sendo implantadas e recarregando as baterias", disse Tom Hoffman, gerente de projeto da InSight no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, que lidera a missão. "Tem sido um longo dia para a equipe. Mas amanhã começa um excitante novo capítulo para o InSight: operações de superfície e o início da fase de implantação do instrumento", disse. A Insight tem um par de placas solares, com 2,2 metros de comprimento cada uma. Quando abertos, diz a Nasa, ficam do tamanho de um carro conversível dos anos 1960. Em Marte, a luz solar é mais fraca se comparada àquela captada na Terra, porque o planeta vermelho está mais distante do Sol. Entretanto, segundo a agência espacial americana, a sonda está preparada para este cenário: ela produz de 600 a 700 watts em um dia claro, o suficiente para manter os instrumentos operando no planeta. Ainda que a poeira cubra os painéis, o sistema continuará produzindo pelo menos de 200 a 300 watts. Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP Próximos passos Nos próximos dias, a equipe da missão vai ativar o braço robótico da InSight e usar a câmera acoplada para tirar fotos do solo. Com essas informações, os engenheiros vão decidir onde colocar, no planeta vermelho, os instrumentos científicos da espaçonave. A Nasa estima que levará de dois a três meses até que esses instrumentos sejam totalmente implantados e possam enviar dados. Enquanto isso, a InSight usará seus sensores meteorológicos e magnetômetro para fazer leituras do local de pouso na Elysium Planitia - sua nova casa em Marte. Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA

Segundo a Nasa, isso significa que a espaçonave poderá recarregar as baterias todos os dias, o que é crucial para a missão, que deverá medir abalos sísmicos em Marte.

Já a foto foi feita por uma câmera instalada no braço robótico.

“A equipe da InSight pode ficar um pouco mais tranquila sabendo que as matrizes solares estão sendo implantadas e recarregando as baterias”, disse Tom Hoffman, gerente de projeto da InSight no Laboratório de Propulsão a Jato da NASA em Pasadena, Califórnia, que lidera a missão.

“Tem sido um longo dia para a equipe. Mas amanhã começa um excitante novo capítulo para o InSight: operações de superfície e o início da fase de implantação do instrumento”, disse.

A Insight tem um par de placas solares, com 2,2 metros de comprimento cada uma. Quando abertos, diz a Nasa, ficam do tamanho de um carro conversível dos anos 1960.

Em Marte, a luz solar é mais fraca se comparada àquela captada na Terra, porque o planeta vermelho está mais distante do Sol. Entretanto, segundo a agência espacial americana, a sonda está preparada para este cenário: ela produz de 600 a 700 watts em um dia claro, o suficiente para manter os instrumentos operando no planeta. Ainda que a poeira cubra os painéis, o sistema continuará produzindo pelo menos de 200 a 300 watts.

Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto Nasavia AP

Primeira imagem enviada pela sonda Insight de Marte — Foto: Nasa/via AP

Próximos passos

Nos próximos dias, a equipe da missão vai ativar o braço robótico da InSight e usar a câmera acoplada para tirar fotos do solo. Com essas informações, os engenheiros vão decidir onde colocar, no planeta vermelho, os instrumentos científicos da espaçonave. A Nasa estima que levará de dois a três meses até que esses instrumentos sejam totalmente implantados e possam enviar dados.

Enquanto isso, a InSight usará seus sensores meteorológicos e magnetômetro para fazer leituras do local de pouso na Elysium Planitia – sua nova casa em Marte.

Ilustração artística mostra como a InSight vai estudar o interior de Marte. — Foto: NASA

To Top