Por Hugh Bronstein

BEUNOS AIRES (Reuters) – As exportações de soja da Argentina à China podem avançar para um recorde de 14 milhões de toneladas nesta temporada, se a guerra comercial sino-norte-americana continuar, disse a Bolsa de Rosario nesta quinta-feira, com a produção se recuperando da seca do ano passado.

A China interrompeu todas as compras de soja dos Estados Unidos, reduzindo os preços dos grãos norte-americanos. Como resultado, os esmagadores de soja norte-americanos estão exportando farelo de soja para mercados anteriormente fornecidos pela Argentina, que em troca aumentou seus envios da oleaginosa em grãos, principalmente à China.

Com as plantas de esmagamento argentinas funcionando com apenas 55 por cento da capacidade, o país deve elevar seus embarques de soja em grão após o início da próxima colheita, em março.

“Sob as condições atuais, em que os embarques norte-americanos diminuíram significativamente, nós esperamos um grande aumento na exportação de soja em grão da Argentina”, disse Emilce Terre, analista-chefe na Bolsa de Rosario, maior polo exportador de grãos da Argentina.

(Por Hugh Bronstein)

tagreuters.com2018binary_LYNXMPEEB51I7-VIEWIMAGE