Asia

Juiz espanhol pedirá extradição de grupo suspeito de ataque a embaixada da Coreia do Norte

Por Isla Binnie

MADRI (Reuters) – Um juiz espanhol pretende pedir a extradição dos Estados Unidos de membros de um grupo suspeito de ter invadido a embaixada da Coreia do Norte em Madri e tentado persuadir uma autoridade presente no local a desertar, disse uma fonte judicial na terça-feira.

O juiz acredita que um grupo de 10 invasores se identificou durante o ataque como ativistas de direitos humanos, segundo um documento do Supremo Tribunal da Espanha.

O líder do grupo contatou o FBI alguns dias depois para passar informações sobre o ataque, disse o documento.

Uma fonte judicial disse à Reuters que o juiz acredita que todos os suspeitos identificados foram aos EUA após a invasão, e que pedirá sua extradição à Espanha, onde podem pegar até 28 anos de prisão.

O porta-voz do Departamento de Estado norte-americano, Robert Palladino, disse que o governo dos EUA não esteve envolvido na invasão, que documentos do Supremo Tribunal espanhol disseram envolver um cidadão mexicano residente nos EUA e um cidadão norte-americano, além de cidadãos sul-coreanos.

“O governo dos Estados Unidos não tem nada a ver com isto”, disse Palladino em um boletim de rotina à imprensa, enfatizando que seu país pediu a proteção de todas as embaixadas.

Ele encaminhou as perguntas sobre a investigação às autoridades espanholas. O Departamento de Estado não respondeu de imediato a um pedido de comentário sobre o pedido de extradição.

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF2Q0Z1-VIEWIMAGE

To Top