Asia

Açúcar bruto recua, mas segue dentro de intervalo na ICE; café arábica avança

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os preços do açúcar bruto na ICE caíram nesta segunda-feira, mas se mantiveram firmemente dentro de seu intervalo recente, enquanto o café arábica avançou após operar em mínimas de 13 anos na última semana.

AÇÚCAR:

* O contrato maio do açúcar bruto fechou em queda de 0,11 centavo de dólar, ou 0,9 por cento, a 12,66 centavos de dólar por libra-peso.

* O aumento de vendas por produtores acima do nível de 12,80 centavos de dólar limitou as altas e ajudou a manter os futuros em seu intervalo apertado, de acordo com operadores.

* À medida que o Brasil destina uma parcela cada vez maior de cana-de-açúcar para o etanol, os preços da energia também ajudaram a manter os futuros em seus intervalos.

* “O açúcar é forçado matematicamente a permanecer dentro da paridade do etanol. Ele está preso, não pode ficar nem abaixo, nem acima da paridade do etanol”, disse Robin Shaw, analista da Marex Spectron.

* A Índia deve receber chuvas de monções dentro da média neste ano, aumentando as expectativas de maior produção agrícola.

* O contrato maio do açúcar branco fechou em alta de 20 centavos de dólar, ou 0,1 por cento, a 329,80 dólares por tonelada. Ele expirou nesta segunda-feira.

CAFÉ:

* O contrato maio do café arábica avançou 1 centavo de dólar, ou 1,1 por cento, e fechou a 91,40 centavos de dólar por libra-peso, após despencar para uma mínima de 13 anos, de 89,35 centavos, na sexta-feira, em meio a uma grande safra brasileira.

* “Temos uma consolidação aqui. Mas se não houver eventos climáticos no Brasil, podemos decair durante o verão”, disse um operador norte-americano, apontando para a pressão sazonal à medida que o Brasil deve acelerar sua colheita nas próximas semanas.

* A Colômbia dará aos cafeicultores 32 milhões de dólares adicionais em subsídios e ajuda, disse no sábado o presidente Iván Duque.

* O contrato maio do café robusta fechou em alta de 23 dólares, ou 1,7 por cento, a 1.410 dólares por tonelada.

(Reportagem de Ayenat Mersie em Nova York e Maytaal Angel em Londres)

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF3E19Z-BASEIMAGE

To Top