Economia

Fiat apresenta proposta de fusão com igual participação a Renault

Linha de montagem da Fiat Chrysler no Estado do Michigan,

A montadora ítalo-americana Fiat Chrysler (FCA) apresentou nesta segunda-feira (27) uma proposta de fusão com a francesa Renault, que pode criar a terceira maior montadora do mundo, atrás de Volkswagen e Toyota.

Segundo a proposta da Fiat para a Renault, o novo grupo seria detido por 50% dos acionistas de cada uma das empresas.

As ações seriam cotadas em Nova York, nos EUA, e em Milão, na Itália, disse a Fiat Chrysler em comunicado.

O conselho de administração da Renault se reunirá para estudar a proposta de fusão, anunciou a fabricante francesa em comunicado divulgado logo após o anúncio da proposta.

De acordo com a Fiat Chrysler, a fusão resultaria em vendas anuais de 8,7 milhões de veículos e “uma forte presença em regiões e segmentos importantes”, gerando 5 bilhões de euros (aproximadamente R$ 22 bilhões) em economia anual.

O “amplo e complementar portfólio das duas marcas forneceria uma cobertura completa do mercado, do luxo ao ‘mainstream'”, afirmou a Fiat Chrysler.

O acordo proposto fundiria as duas montadoras sob uma holding holandesa listada. Após o pagamento de um dividendo especial de 2,5 bilhões de euros (aproximadamente R$ 11 bilhões) aos acionistas da Fiat Chrysler, cada grupo receberia 50% da entidade combinada em novas ações.

A fusão não levará ao fechamento de fábricas, assegurou a Fiat Chrysler.

FCA

Fábricas: 102

Carros e picapes: Alfa Romeo, Fiat, Lancia e Maserati (Itália); Chrysler, Dodge, Jeep e RAM (EUA)

Veículos de carga/vans: Fiat Professional

Motores: VM Motori

Versões especiais e acessórios: Abarth e Mopar

4,8 milhões

de veículos vendidos em 2018

Renault Group

Fábricas: 39

Carros e picapes: Renault e Alpine (França); Dacia (Romênia); Samsung (Coreia do Sul); Lada (Rússia)

3,9 milhões

de veículos vendidos em 2018

To Top