Economy

Coalizão no poder na Itália fecha acordo sobre licitações, indicando melhora nas relações

Por Crispian Balmer

ROMA (Reuters) – Os partidos no poder na Itália, a Liga Norte e o Movimento Cinco Estrelas, fecharam um acordo nesta terça-feira para reformular as intricadas regras de licitação pública do país, numa indicação de que o governo de coalizão pode finalmente estar se acalmando após semanas de brigas internas.

O acordo ocorre um dia depois que o primeiro-ministro Giuseppe Conte ameaçou renunciar se os dois partidos não parassem com as constantes disputas que levaram o governo à beira do colapso, apenas um ano após ter sido formado.

Impulsionados pelo ultimato de Conte, os líderes da Liga e do Cinco Estrelas, Matteo Salvini e Luigi Di Maio, conversaram por telefone pela primeira vez em semanas, numa tentativa de encerrar semanas de críticas mútuas e desentendimentos públicos.

“O retorno do diálogo é um bom sinal”, disse Conte em uma breve nota.

Di Maio depois chamou o acordo sobre as licitações de uma entendimento do “bom senso”, alcançado em prol do maior interesse da estabilidade política.

“Nos próximos dias vai ser importante trabalhar com a capacidade total”, disse Di Maio a jornalistas. “O momento chegou para dar estabilidade ao país.”

As relações entre os dois partidos da coalizão se deterioraram dramaticamente durante a campanha para a eleição parlamentar da União Europeia, realizada no mês passado, após a qual a Liga se tornou o partido mais representativo da Itália, enquanto o Cinco Estrelas perdeu metade de seu apoio em pouco mais de um ano.

Desde a votação, Salvini, da Liga, tem se comportado como primeiro-ministro de fato, prometendo grandes cortes de impostos e demandando mudanças nas regras orçamentárias da UE, incluindo nos limites de endividamento e déficit para cada país.

O acordo em torno dos contratos para obras públicas é o primeiro sinal de que os dois partidos estão dispostos a levar adiante uma parceria muitas vezes conturbada.

Muitas outras disputas ainda precisam ser resolvidas entre os dois partidos – incluindo as exigências de Salvini para que a Itália ignore as regras de endividamento e de déficit da UE à medida em que busca recursos para arcar com seus ambiciosos planos de redução de impostos.

A Comissão Europeia deve impor medidas disciplinares contra a Itália na quarta-feira, devido ao fracasso do país em reduzir o déficit público.

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF531YR-VIEWIMAGE

To Top