Europe

Jornalista russo reconhecido por investigações contra corrupção é detido em Moscou

Por Anton Zverev e Andrew Osborn

MOSCOU (Reuters) – Um jornalista russo conhecido por investigar a corrupção entre autoridades municipais de Moscou foi detido pela polícia e acusado de delitos ligados a drogas, informou a polícia nesta sexta-feira, mas seu advogado e a empresa para a qual o repórter trabalha disseram que ele foi alvo de uma armação.

Ivan Golunov, de 36 anos, foi detido no centro de Moscou na quinta-feira a caminho de um encontro com uma fonte quando drogas ilegais foram encontradas em sua mochila, segundo a polícia e o portal de notícias online Meduza,

Em um comunicado, a polícia moscovita disse que uma busca no apartamento de Golunov revelou mais drogas e algumas balanças e que iniciou uma investigação criminal. Se considerado culpado pela venda de drogas em larga escala, ele pode ficar preso entre 10 e 20 anos.

Dmitry Djulai, o advogado de Golunov, disse à Reuters que acredita que a polícia plantou as drogas em seu cliente para incriminá-lo. Ele disse que Golunov foi espancado e que a polícia se recusou a recolher amostras de sua mãos, unhas e mochila para atestar se ele teve contato com drogas.

Golunov é conhecido na Rússia por suas investigações sobre a corrupção na capital. O prefeito de Moscou, Sergei Sobyanin, é um grande aliado do presidente Vladimir Putin.

A gerência editorial do Meduza, que tem sede na Letônia, disse em um comunicado que nos últimos meses Golunov recebeu ameaças em relação a uma matéria na qual estava trabalhando.

“Estamos convencidos de que Ivan Golunov é inocente”, disse o comunicado. “Além disso, temos motivos para acreditar que Golunov está sendo perseguido por causa de sua atividade jornalística”.

Djulai disse que a polícia também se recusou a chamar médicos para catalogarem os ferimentos que infligiu ao jornalista.

A polícia de Moscou disse que as alegações de que Golunov foi espancado ao ser preso “não correspondem à realidade”.

(Reportagem adicional de Maria Tsvetkova)

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF5613D-VIEWIMAGE

To Top