Latin America

Trigo lidera altas em Chicago após relatório do USDA; soja e milho também avançam

Por Barbara Smith

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do trigo em Chicago avançaram para seu maior nível em mais de uma semana nesta quinta-feira, depois de o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) reduzir sua estimativa para a produção global do cereal em um relatório de oferta e demanda.

Milho e soja acompanharam a tendência firme estabelecida pelo trigo.

O contrato setembro do trigo fechou em alta de 16,75 centavos de dólar, a 5,215 dólares por bushel, depois de atingir máxima de 5,23 dólares, seu maior nível desde 1º de julho.

O milho para setembro avançou 9,25 centavos, ou 1,8%, para 4,4425 dólares o bushel, enquanto o vencimento agosto da soja encerrou a sessão em alta de 4,5 centavos, a 8,99 dólares por bushel.

O trigo liderou as altas após o USDA, em seu relatório de oferta e demanda de julho, reduzir sua estimativa para a produção do cereal em 2019/20 na Rússia, União Europeia, Austrália e Canadá.

“O USDA basicamente triturou a produção global de trigo”, disse Ted Reilly, analista-sênior da Futures International, acrescentando que “o mercado foi pego de surpresa, pois estavam todos muito focados em milho e soja.”

Para o milho, o USDA elevou sua estimativa de produção para 13,875 bilhões de bushels, com base em sua projeção de 28 de junho para as áreas de plantio, de 91,7 milhões de acres, um valor além do esperado.

Já para a soja, o órgão diminuiu sua estimativa para a produção 2019/20 dos EUA para 3,845 bilhões de bushels, ante 4,15 bilhões vistos em junho. [nL2N24C19R]

(Reportagem de Barbara Smith, com reportagem adicional de Colin Packham em Sidney)

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF6A215-BASEIMAGE

To Top