Asia

Negociações comerciais entre EUA e Índia terminam sem grande progresso, dizem fontes

Por Neha Dasgupta

NOVA DÉLHI (Reuters) – Negociadores norte-americanos e indianos encerraram as conversas nesta sexta-feira sem grandes progressos em série de disputas sobre tarifas e outras medidas protecionistas impostas por ambos os lados que estão afetando as relações bilaterais, segundo autoridades com conhecimento sobre as discussões.

Muitas das questões mais difíceis sobre commodities agrícolas, comércio eletrônico, aço e alumínio foram adiadas até que o ministro indiano do Comércio e Indústria, Piyush Goyal, vá a Washington para negociações com o representante de Comércio dos Estados Unidos, Robert Lighthizer, no próximo mês. As datas para essa viagem ainda não foram definidas.

“Nenhum avanço”, disse uma das autoridades indianas envolvidas nas negociações em Nova Délhi, que durou pouco mais de três horas. Ele se recusou a fazer mais comentários.

Duas outras autoridades indianas disseram esperar que algumas das questões sejam resolvidas quando Goyal for a Washington.

As conversas de sexta-feira foram mais sobre entender as posições de cada um em várias disputas, disseram eles.

Em um curto comunicado divulgado nesta sexta-feira, o governo da Índia disse que os países concordaram em continuar suas discussões para “abordar preocupações comerciais mútuas”.

Os dois lados retomaram as negociações depois que o presidente dos EUA, Donald Trump, e o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, se reuniram na cúpula do G20, em junho, e concordaram em tentar aprofundar o relacionamento entre os dois países.

Trump disse na cúpula que haveria um “grande acordo comercial” com a Índia, apesar de não ter estabelecido um cronograma, e usou nesta semana usou o Twitter para atacar o que ele chama de altas tarifas indianas sobre produtos norte-americanos como “não mais aceitáveis”.

(Por Neha Dasgupta)

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF6B1FA-BASEIMAGE

To Top