Asia

Autoridades dos EUA e China discutem comércio; Mnuchin busca negociações presenciais

CHANTILLY, França/WASHINGTON (Reuters) – Autoridades norte-americanas e chinesas conversaram por telefone na quinta-feira conforme as duas maiores economias do mundo tentam encerrar uma guerra comercial que já dura um ano, com o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, sugerindo possíveis negociações presenciais.

Mnuchin e o representante de Comércio dos EUA, Roberto Lighthizer, conversaram com seus colegas chineses por telefone, disse o gabinete de Lighthizer na quinta-feira, após comentários anteriores do secretário do Tesouro em uma entrevista durante a reunião do G7 em Chantilly, na França.

Os EUA e a China estão envolvidos em uma disputa tarifária desde julho de 2018, com Washington pressionamdo Pequim para enfrentar o que considera décadas de práticas comerciais injustas e ilegais.

A China argumentou que qualquer acordo precisa ser justo e equitativo, deixando os dois lados aparentemente ainda longe de um acordo para acabar com o processo que prejudicou as cadeias de fornecimento globais e os mercados financeiros.

“Neste momento, estamos realizando ligações de alto nível e, na medida em que fizer sentido para nós marcarmos reuniões presenciais, eu anteciparei que faremos isso”, disse Mnuchin à Reuters.

Perguntado se o telefonema de quinta-feira poderia levar a uma reunião presencial, Mnuchin disse: “É possível, mas não vou especular sobre o resultado.”

O gabinete de Lighthizer confirmou mais tarde que a conversa ocorreu conforme o programado, mas não deu detalhes.

O Ministério das Relações Exteriores da China disse nesta sexta-feira que os dois lados discutiram maneiras de implementar o consenso alcançado pelos presidentes dos dois países, mas não deu outros detalhes.

Separadamente, Su Ge, ex-presidente do Instituto de Estudos Internacionais da China, afiliado ao Ministério de Relações Exteriores chinês, disse que espera que mais discussões formais sejam realizadas neste mês.

“Essas são questões difíceis … mas pelo menos eles concordaram em deixar as duas equipes de negociação reiniciarem o trabalho, então vamos manter os dedos cruzados”, disse ele.

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF6I0Y4-BASEIMAGE

To Top