Economy

Presidente do BC turco foi demitido após resistir a redução de juros de 3p.p., dizem fontes

Por Orhan Coskun

ANCARA (Reuters) – A decisão repentina do presidente turco, Tayyip Erdogan, de demitir o ex-presidente do banco central Murat Cetinkaya ocorreu depois de meses em que eles não se encontraram e foi precipitada pela rejeição por Cetinkaya de pedidos de Erdogan em junho por um corte de 3 pontos percentuais na taxa de juros, disseram três fontes.

Erdogan não fez segredo de sua hostilidade à alta taxa de juros que, ao contrário do pensamento econômico ortodoxo, ele diz que aumenta a inflação. Ele disse que Cetinkaya foi demitido porque o ex-presidente não seguiu suas instruções.

Três fontes com conhecimento do assunto — falando apenas dias antes da próxima decisão de juros do banco central — deram novos detalhes de um relacionamento tenso que finalmente terminou quando a saída de Cetinkaya foi anunciada há duas semanas.

O presidente do BC havia supervisionado os aumentos de 11,25 pontos percentuais nos juros no ano passado, enquanto a Turquia enfrentava uma crise cambial e o aumento da inflação. O período de crise incluiu uma alta de 6, 25 pontos percentuais na taxa de juros de referência, para 24% em setembro.

Isso resultou no colapso da lira turca e ajudou a reduzir a inflação de uma máxima de 15 anos de 25% em outubro. Mas isso teve um custo quando a economia entrou em recessão.

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF6I1E4-BASEIMAGE

To Top