Africa

Pesquisadores alertam de “implicações inesperadas” com a convergência de riscos climáticos

Por Thin Lei Win

ROMA (Thomson Reuters Foundation) – Se os produtores agrícolas da Índia adotassem métodos mais eficientes de irrigação, tirando a evaporação de seus campos, produtores no leste da África poderiam ter menos chuvas — e uma piora na seca — dentro de cinco anos, alertaram cientistas nesta segunda-feira.

Em um artigo publicado na Nature Sustainability, pesquisadores dos Estados Unidos, Suécia e Austrália disseram que os riscos ambientais da atividade humana estão cada vez mais complexos e interconectados, com consequências de amplo alcance para a produção de alimentos e meios de subsistência.

Eles pediram por novas abordagens globais para calcular e entender tais riscos –e um novo pensamento sobre como lidar com eles.

Por exemplo, a evaporação e subsequente fluxo de umidade da irrigação da agricultura de larga escala na Índia contribui para até 40% das chuvas no leste da África, segundo a pesquisa.

“Se comunidades na Índia melhorarem as práticas de agricultura sustentável (reduzindo a irrigação e o esgotamento das águas subterrâneas), então os pastores e agricultores na África poderiam sofrer”, alertou, chamando a situação de “dilema delicado”.

“Se a chuva diminuir nos principais meses no leste da África, isso poderia ter efeitos consequentes sobre a imigração e meios de subsistência”, disse Nathanial Matthews, um dos autores e diretor de programa da Global Resilience Partnership, baseada em Estocolmo.

“Você poderia ver prejuízos às colheitas. Isso poderia estar ligado a tensões políticas. Poderia ter todas essas implicações inesperadas”, disse ele à Thomson Reuters Foundation em entrevista por telefone.

“Isso poderia acontecer dentro dos próximos cinco anos. Já estamos vendo enormes secas na Índia”, acrescentou.

Tais conexões inesperadas são pouco conhecidas e menos ainda compreendidas, mas é essencial levá-las em consideração se o mundo quiser estar adequadamente preparado para choques futuros, disse Patrick Keys, o autor principal do artigo.

“As demandas que a humanidade está colocando sobre o planeta requerem uma reconfiguração de como conceitualizamos o que é um risco ambiental”, disse Keys, pesquisador da Escola de Sustentabilidade Ambiental Global na Universidade do Estado do Colorado.

“Todas estas rápidas mudanças ambientais tocarão todas as nossas vidas, e dado o quão rápido estas mudanças estão acontecendo, há uma necessidade urgente de entendê-las para que possamos responder corretamente”, acrescentou ele.

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF6L1IW-BASEIMAGE

To Top