Business

Vale prevê aportar R$450 mi em abastecimento de água da região metropolitana de BH

RIO DE JANEIRO (Reuters) – A Vale prevê aportar cerca de 450 milhões de reais no sistema de abastecimento de água da região metropolitana de Belo Horizonte, após o rompimento de barragem em Brumadinho, em 25 de janeiro, informou a companhia em nota à imprensa nesta quinta-feira.

O montante, já incluído nas provisões bilionárias realizadas pela empresa em resposta ao desastre, será aplicado nos sistemas de captação de água para abastecimento da capital mineira: Bacia do Rio Paraopeba e Bacia do Rio das Velhas.

As medidas fazem parte do termo de compromisso homologado nesta semana entre a Vale e a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa) com as participações dos Ministérios Públicos Estadual e Federal.

O acordo foi necessário devido ao rompimento de barragem da Vale que continha mais de 11 milhões de metros cúbicos de rejeitos de minério de ferro. Ao entrar em colapso, a estrutura liberou seu conteúdo em mata, comunidades e rios da região. O desastre deixou mais de 240 mortos confirmados.

Pelo acordo, a Vale se compromete a construir um novo sistema de captação de água no Rio Paraopeba, realizar ações preventivas na captação no Rio das Velhas e a contratar uma auditoria externa que irá, entre outros pontos, analisar os projetos e acompanhar o volume de água armazenado nos reservatórios da região metropolitana.

A Vale detalhou que Belo Horizonte e Região Metropolitana têm dois principais sistemas de captação para abastecimento de água sob a responsabilidade da Copasa, que englobam estações de captação e tratamento localizadas nas bacias do Rio Paraopeba e Rio das Velhas.

No caso da bacia do Rio Paraopeba, a captação é realizada nas represas de Rio Manso, Serra Azul, Vargem das Flores, além do Rio Paraopeba. No Rio das Velhas há a captação direta no rio, em Bela Fama.

(Por Marta Nogueira; edição de Roberto Samora)

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF771VV-BASEIMAGE

To Top