Entertainment and Lifestyle

Taylor Swift pede que fãs apoiem paridade salarial para seleção feminina dos EUA

Por Lin Taylor

LONDRES (Thomson Reuters Foundation) – A cantora Taylor Swift incentivou seus milhões de fãs a apoiarem a luta da seleção feminina de futebol dos Estados Unidos pela paridade salarial, dizendo que as campeãs mundiais assumiram uma “posição histórica” em nome da igualdade.

A disparidade salarial de gênero está “acontecendo em todo lugar”, disse a cantora e compositora norte-americana ao receber o primeiro Prêmio Ícone na premiação Teen Choice de Alex Morgan, uma das capitãs da seleção, no domingo.

“Enquanto estavam vencendo a Copa do Mundo, elas também estavam assumindo uma posição histórica em termos de igualdade de gênero, de disparidade salarial”, disse a artista de 29 anos.

“Por favor, por favor, por favor apoiem ela e suas colegas de time porque isto ainda não acabou. Não está resolvido. Entrem na internet e falem sobre isso”.

A vitória por 2 x 0 da equipe na final da Copa do Mundo, em julho, coroou uma campanha que atraiu uma grande audiência televisiva.

Em março, elas processaram a Federação de Futebol dos EUA, argumentando que seus salários e condições de trabalho remetiam a discriminação de gênero.

As jogadoras, que incluem as estrelas Megan Rapinoe, Carli Lloyd e Alex Morgan, disseram que vêm recebendo menos do que seus colegas homens de forma persistente, apesar de terem um desempenho melhor.

O prêmio em dinheiro da Copa do Mundo de Futebol Feminino dobrou para 30 milhões de dólares neste ano, mas 448 milhões de dólares foram disponibilizados para a versão masculina do ano passado.

“Façam com que as pessoas saibam o que vocês sentem sobre isso, porque o que aconteceu com elas é injusto. Isso está acontecendo em todo lugar, e elas são heroínas e ícones por se posicionarem”, disse Taylor.

Não é a primeira vez que a intérprete de “Shake It Off”, que tem mais de 120 milhões de seguidores no Instagram, assume um posicionamento político a favor da igualdade de gênero, inclusive para a comunidade de lésbicas, gays, bissexuais e transgêneros (LGBT+).

Em junho, ela lançou um vídeo repleto de astros para divulgar a canção “You Need to Calm Down” e pediu aos fãs que assinassem uma petição exigindo proteções legais aos LGBT+ nos EUA. 

tagreuters.com2019binary_LYNXNPEF7B13H-BASEIMAGE

To Top