Últimas Notícias

Vacina contra sarampo em SP acaba na segunda

Gabigol descarta empolgação na reta final de temporada. 

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – O município de São Paulo só tem estoque de vacina até segunda-feira (26), cinco dias antes do fim da campanha de vacinação contra o sarampo, em 31 de agosto.

A declaração foi feita nesta quinta (22) pela coordenadora de vigilância em saúde da secretaria municipal de Saúde de São Paulo, Solange Saboia, durante reunião acompanhada pela Folha com representantes de secretarias de outros estados com o Ministério da Saúde em Brasília.

Ela afirmou que têm sido aplicadas 70 mil doses por dia, três vezes mais do que antes, e que o estoque não está dando conta. “Não temos vacina. Está faltando vacina no município”, afirmou. “Vamos ter que cancelar bloqueios? Ter que cancelar varredura?”

Ela pediu apoio do Ministério da Saúde e da secretaria estadual de Saúde de São Paulo para dar conta da demanda. Segundo ela, “está sendo impossível fazer as varreduras” devido ao tamanho da capital. Foram deslocados 1.000 agentes para focar em ações de bloqueio, que costumam atingir de 7.000 a 10 mil pessoas.

“As varreduras consomem um quantitativo vacinal enorme. E ficam praticamente impossíveis de serem realizadas a contento na situação epidemiológica em que estamos.”

De acordo com a coordenadora, há 1.314 casos confirmados de sarampo no município e 7.600 casos suspeitos em investigação. No estado, há cerca de 1.800 casos confirmados e mais de 8 mil em investigação, em 79 municípios.

Ela diz que já foram aplicadas em torno de 1 milhão de doses em ações de bloqueio. “Não temos ainda movimento decrescente, continua subindo”, disse.

O número de casos de sarampo aumentou 36,23% na última semana no estado de São Paulo. Entre os dias 13 e 20 de agosto, as notificações da doença subiram de 1.319 para 1.797, segundo balanço divulgado pela Secretaria Estadual da Saúde nesta terça (20).

A coordenadora atribui a dificuldade em evitar que a doença se espalhasse no início do surto à resistência das pessoas à vacina contra o sarampo.

O secretário-adjunto de saúde de Guarulhos, Dalmo Viana, afirmou que 44% das pessoas contaminadas de 1 a 29 anos estavam com vacinação dia. Ele afirmou que há 50 casos confirmados no município.

A representante da secretaria de saúde de Campinas afirmou que todas as crianças infectadas de 1 a 4 anos têm ao menos duas doses da vacina na cidade. Ela mostrou preocupação quanto à possibilidade de subnotificação.

“Acho que a gente teve muita dengue onde era sarampo”, afirmou a representante da secretaria de saúde de Campinas. A pasta solicitou um levantamento para checar, entre 25 mil casos de dengue, quantos poderiam ser classificados como sarampo –ela diz que 5 mil apresentavam algum sintoma da doença.

Em nota, o Ministério da Saúde diz que não há desabastecimento da vacina tríplice viral no Brasil e que já foram enviadas 17 milhões de doses para todo o país para vacinação de rotina e bloqueio vacinal. Destas, 7,8 milhões foram encaminhadas ao estado de São Paulo.

Diz ainda que as doses solicitadas pela secretaria de Saúde da capital paulista devem ser enviadas ainda nesta semana para suprir a demanda.

Segundo a pasta, será antecipado o envio das doses de rotina e mais 321.288 doses para o reforço nas crianças. O repasse para as ações de boqueio vão ocorrer de acordo com a atualização dos dados.

Quanto aos casos de pacientes infectados mesmo com a imunização em dia, o Ministério diz que as vacinas contra o sarampo não protegem 100% e que “sempre terão de 3% a 5% de pessoas que, mesmo tomando a vacina, vão apresentar a doença”.

O Ministério diz que solicitou uma pesquisa de avaliação, um inquérito sorológico, junto aos estados e municípios, e que não há, até o momento, evidência de falha vacinal.

Tire suas dúvidas sobre o sarampo

O que é sarampo?

É uma doença infecciosa aguda transmitida por um vírus, caracterizada por manchas na pele

Como é transmitido?

Pela saliva, carregada pelo ar (quando a pessoa tosse, fala ou espirra)

Quais os sintomas?

Febre alta (acima de 38,5°C), manchas vermelhas na cabeça e no corpo, tosse, dor de cabeça, coriza e conjuntivite

Sarampo pode matar?

Sim. É uma doença que traz complicações graves, inclusive neurológicas. Também pode deixar sequelas como a surdez

Quem deve se vacinar?

Bebês de 6 meses a 11 meses e 29 dias devem tomar a dose da campanha e as duas do calendário nacional de imunização, aos 12 meses e 15 meses; crianças e jovens de até 29 anos precisam ter tomado duas doses da vacina –quem tem de 30 a 59 anos, apenas uma dose. A maioria das pessoas com mais de 60 anos não precisa da vacina

Onde é feita a vacinação?

Em postos de saúde e, durante a campanha, em pontos anunciados pelo governo, como estações do metrô

To Top