Brasil

Cruzeiro e Grêmio se encontram com reações diferentes após eliminação

Rodada inicial do Brasileirão terá duelo dos campeões Palmeiras e Fortaleza

O Cruzeiro recebe o Grêmio às 11h deste domingo (8), pelo Brasileiro, sob o peso da recente queda na Copa do Brasil, que abriu nova crise no clube. Curioso é que o adversário também vem de eliminação no torneio mata-mata, mas contornou o fato de modo diferente.

Derrotado pelo Internacional por 3 a 0 na última quarta (4), o Cruzeiro se viu, além de eliminado, exposto com trocas de declarações.

Na saída do Beira-Rio, o meia Thiago Neves elencou, entre os fatores determinantes para a queda, a escalação do técnico Rogério Ceni, que optou por improvisar o volante Jadson na lateral direita e deslocou o também volante Henrique para a zaga, no lugar de Dedé, no intervalo da partida.

Ceni, por sua vez, rebateu o camisa 10 do Cruzeiro em entrevista coletiva ainda no estádio do Inter e citou a quantidade de erros de passes de sua equipe como principal motivo para a derrota. “Sem o princípio básico do jogo, você dificilmente consegue agredir o adversário”, disse o treinador cruzeirense.

Ele também explicou as improvisações. Sem o lateral-direito Orejuela, convocado pela Colômbia, Ceni teria como opção imediata Edílson, mas o provável substituto acusou pouco ritmo de jogo por voltar de lesão. Por se tratar de confronto decisivo, preferiu um jogador em plenas condições, ainda que improvisado.

Quanto à mudança na zaga, Ceni afirmou que Dedé, com dores no joelho, pediu para ser substituído. No banco, o treinador contava com os zagueiros Léo, que não atuava há três jogos por se recuperar de lesão, e Cacá, de apenas 20 anos —preferiu colocar o experiente Ariel Cabral no meio, recuando Henrique.

Instaurada a polêmica, Thiago Neves voltou a público no dia seguinte para reparar o que havia dito, responsabilizando, desta vez, jogadores e diretoria pela eliminação. “Nunca fui omisso […] Espero que possamos juntos, com muito trabalho, tirar o Cruzeiro desta situação atual”, escreveu em postagem no Instagram.

Já o Grêmio, eliminado da Copa do Brasil pouco antes do apito inicial em Porto Alegre, tratou de blindar jogadores, que não concederam entrevistas na saída da Arena da Baixada após a derrota para o Athletico-PR nos pênaltis, precedida de revés por 2 a 0 no tempo normal. O único a falar foi o técnico Renato Portaluppi.

O treinador foi enfático ao assumir a má atuação de sua equipe, mas ponderou: “Ainda parabenizo o meu grupo, porque é vencedor. Perdemos, estamos tristes, mas aprendemos com as derrotas também”, disse Renato, que ainda destacou a chance de título na Taça Libertadores, na qual o Grêmio é semifinalista.

O Cruzeiro, por sua vez, não terá outra competição mata-mata para se apegar. Até o fim do ano, resta apenas a disputa do Brasileiro, no qual briga hoje contra o rebaixamento —ao final da rodada anterior, era o 16º, com 18 pontos, quatro a mais que a Chapecoense, que abria o Z-4. O Grêmio aparecia em 11º, com 22.

A equipe tricolor deverá voltar a usar sua formação titular depois de quatro rodadas, nas quais poupou jogadores e utilizou escalações alternativas, visando outras competições. O Cruzeiro também terá força total, com exceção de Dedé e Orejuela, que seguem fora —sem improvisos, Léo e Edílson ganham as vagas.

CRUZEIRO

Fábio; Edílson, Fabrício Bruno, Léo e Egídio; Henrique, Robinho, Thiago Neves, Pedro Rocha e David; e Fred. T.: Rogério Ceni

GRÊMIO

Paulo Victor; Galhardo, Geromel (David Braz), Kannemann, Cortez; Matheus Henrique, Rômulo, Alisson, Jean Pyerre, Everton; André. T.: Renato Portaluppi

Estádio: Mineirão, em Belo Horizonte

Horário: 11h deste domingo

Juiz: Rafael Traci (SC)

To Top