Brasil

Com Neymar e Vinícius Júnior, seleção brasileira perde para Peru

No reencontro entre a seleção brasileira e o Peru depois da final da Copa América, o desfecho foi melhor para os peruanos, que venceram por 1 a 0 o amistoso disputado em Los Angeles na noite desta terça-feira (madrugada de quarta no Brasil).

Foi apenas a terceira derrota de Tite como técnico da equipe nacional (antes, perdeu para a Argentina em amistoso e para a Bélgica na Copa do Mundo) e o segundo tropeço seguido de seu time, que empatou com a Colômbia na última sexta-feira (6).

Se o Brasil levou a melhor na partida decisiva do Maracanã por 3 a 1 sem a presença de Neymar, nos EUA o atacante do PSG não foi capaz de evitar o revés após entrar na segunda etapa. O gol da vitória foi marcado pelo zagueiro Abram, de cabeça.

Buscando se firmar tanto no Real Madrid quanto no time de Tite, após uma lesão sofrida em março, o atacante Vinicius Jr., de 19 anos, foi convocado pela primeira vez para seleção e fez sua estreia entrando na segunda etapa.

A postura de Tite tem sido cautelosa quanto ao atleta. Preferiu não o chamar para a Copa América mesmo após o corte de Neymar (escolheu Willian, do Chelsea).

“Às vezes a gente superestima a capacidade de maturidade de um atleta que ontem estava na base do Flamengo e agora está no Real Madrid. Tem que ter cuidado. Sei que ele está amadurecendo, mas ainda é cedo”, explicou o treinador antes da partida sobre a expectativa para escalar seu camisa 19.

Neymar também começou no banco. David Neres recebeu a chance de ocupar a vaga do camisa 10 e foi o responsável pela primeira boa chance do Brasil na partida, aos 19 minutos de jogo, quando driblou o goleiro Gallese, mas foi travado por Advíncula na hora de finalizar.

Já Everton, que ganhou a vaga de Neres e foi decisivo na campanha do título americano, não foi convocado, uma vez que seu time, o Grêmio, disputava as semifinais da Copa do Brasil no período.

Além da saída de Neymar, o técnico Tite trocou mais três peças com relação ao time titular que empatou em 2 a 2 contra a Colômbia na última sexta-feira (6). Entraram o zagueiro Éder Militão, o lateral Fagner e o volante Allan.

Os quatro estavam no elenco da Copa América, mas só Militão e Allan jogaram a final (entraram na segunda etapa). Fagner e o goleiro Ederson foram os únicos do time desta terça que não enfrentaram o Peru em julho.

A partida desta quarta começou bastante disputada, com a equipe peruana melhor, encaixando boa marcação alta contra a equipe brasileira. Quando não roubavam a bola, faziam falta para parar o lance. As primeiras boas chances do jogo foram do Peru.

O Brasil chegou com perigo apenas aos 19, no lance em que Neres foi travado e desarmado por Advíncula. Só cinco minutos depois é que a seleção chutou pela primeira vez, com Richarlison, em bola que passou à direita do gol.

Ele, inclusive, foi o único a ameaçar a meta adversária em mais duas tentativas na primeira etapa.

Neres e Casemiro protagonizaram um lance forte no primeiro tempo, em bola no alto na qual os dois saltaram para afastar e acabaram chocando cabeças. Os dois ficaram caídos no gramado, o volante com sangramento.

No segundo tempo, Tite esperou até os 17 minutos para mudar e fez três alterações, colocando Neymar, Lucas Paquetá e Fabinho e tirando Roberto Firmino, David Neres e Casemiro.

Nos dois lances que sucederam a entrada do camisa 10, o Brasil levou perigo, com Lucas Paquetá e Richarlison. Quase aos 30 minutos, Vinicius Jr entrou no lugar de Richarlison.

Quando tirou Phillipe Coutinho para colocar Bruno Henrique e lançar o time ao ataque, a equipe de Tite sofreu o gol do Peru.

Os próximos compromissos da seleção brasileira são amistosos no começo de outubro deste ano, ainda sem adversários definidos.

To Top