Benefícios

6 dicas importantes sobre a revisão de benefícios do INSS em 2019

INSS Previdência Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo Consignado

Instituto Nacional do Seguro Social (INSS) vem realizando nos últimos anos o Programa de Revisão de Benefícios por Incapacidade. A ação é um pente-fino que tem como objetivo convocar os segurados da aposentadoria por invalidez e do auxílio-doença para a realização da perícia médica. É a partir dela que será decidido se o benefício será ou não mantido.

Como esse é um assunto que gera muitas dúvidas, preparamos 6 dicas importantes sobre a revisão de benefícios

1 – Mantenha seu cadastro atualizado junto ao INSS

O INSS realiza a convocação através de correspondência. Ou seja, elas são enviadas para os beneficiários que ficaram mais de dois anos sem realizar a perícia, no caso do auxílio-doença, e para pessoas com menos de 60 anos para a aposentadoria por invalidez.

Por isso é importante ficar atento se o seu endereço está atualizado no INSS. Se o endereço apresentar algum dado incorreto, caso seja chamado, há a possibilidade de você não receber a carta de convocação.

2 – Fique atento as notícias

Como existe a possibilidade de o segurado não receber a correspondência devido a problemas de endereço, é importante ficar atento as notícias divulgadas nos meios de comunicação e redes sociais.

Uma lista de convocados que não receberam a carta (ou até mesmo receberam, mas não marcaram a perícia) é divulgada no Diário Oficial da União. Após o nome ser publicado, o segurado tem 15 dias para tomar ciência da lista e mais 5 para agendar a perícia.

3 – Tenha em mãos exames médicos atualizados

Uma das reclamações mais comuns é o prazo dado pelo INSS para que o segurado agende sua perícia, além disso a documentação médica precisa estar atualizada.

Se você foi convocado, faça uma consulta com o especialista que lhe atende. Então peça um atestado médico atualizado com a CID (Classificação Estatística Internacional de Doenças e Problemas Relacionados com a Saúde).

Peça a requisição para outros exames médicos que comprovem a incapacidade para o trabalho. Após a realização desses exames você pode solicitar ao médico um laudo com a evolução da doença. Resumindo, o importante é levar no dia da perícia a documentação completa e atualizada.

4 – O que pode acontecer com quem passa pela revisão do benefício?

Há duas opções neste caso. Em primeiro lugar, se for constatado que o segurado está apto para retornar ao trabalho. Como resultado ele é encaminhado para a reabilitação profissional e terá seu benefício cancelado.

auxílio-doença também poderá ser mantido para o segurado. E em alguns casos até podem ser alterados, como por exemplo, dependendo a enfermidade, o auxílio-doença poderá ser mudado para uma aposentadoria por invalidez. Tudo irá depender de cada caso.

5 – Se o beneficiário não realizar a perícia médica

O segurado que não agendar a perícia ou não comparecer no dia marcado terá seu benefício suspenso. A partir do momento da suspensão, o beneficiário tem o prazo de 60 dias para procurar o INSS e agendar a perícia médica. Se mesmo assim não procurar a instituição neste prazo, o benefício será cancelado.

6 – Benefício negado? É possível recorrer

O médico perito poderá decidir, após a avaliação, pela suspensão do benefício. Muitas pessoas não sabem que é possível recorrer. Neste caso existem dois caminhos a seguir: realizar uma nova perícia no INSS ou ingressar com uma ação judicial através de um advogado de sua confiança.

A grande diferença é que no processo judicial o segurado realiza uma perícia com um médico de confiança do juiz. Ou seja, não pelo médico escolhido pelo INSS. https://www.carboneraetomazini.com.br

To Top