Entertainment and Lifestyle

Shepard Smith, veterano da Fox News, anuncia demissão ao vivo

Por Jill Serjeant

LOS ANGELES (Reuters) – Shepard Smith, principal âncora da emissora norte-americana Fox News e crítico há algum tempo do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, anunciou nesta sexta-feira que está deixando a rede, após 23 anos.

Numa declaração inesperada ao final de seu programa diário “Shepard Smith Reporting”, Smith disse que solicitou sua saída.

Sua mensagem de despedida terminou com a esperança de que “a verdade irá sempre importar”.

“Recentemente pedi à companhia que me permitisse sair da Fox News. Depois de me pedirem que ficasse, eles o fizeram. De acordo com nosso contrato, não estarei reportando em outro lugar, pelo menos não em um futuro próximo”, disse Smith.

“Mesmo em nossa atual nação polarizada, é esperança minha que os fatos prevaleçam, que a verdade sempre vença, que o jornalismo e os jornalistas sobrevivam”, disse Smith.

Smith, também editor-chefe da unidade de notícias em tempo real da rede, foi um dos poucos jornalistas seniores da conservadora Fox News a criticar Trump.

Em março, ele problematizou as críticas de Trump ao falecido senador republicano John McCain e, em agosto, Smith falou sobre o “aumento inconfundível do nacionalismo branco e do racismo branco na América”, os quais os democratas dizem que Trump não fez o suficiente para desencorajar.

Trump, que criticou repetidamente a mídia americana como “o inimiga do povo”, atacou publicamente Shepard.

“Assistir à Fake News CNN é melhor do que assistir Shepard Smith, o programa de classificação mais baixa da @FoxNews”, tuitou Trump em agosto.

Smith está na Fox News, da Fox Corporation, de Rupert Murdoch, desde que foi lançada, em 1996.

O presidente da Fox News, Jay Wallece, o chamou de “um dos principais apresentadores de notícias de sua geração”.

“Embora este dia seja especialmente difícil como seu antigo produtor, respeitamos sua decisão e somos profundamente gratos por suas imensas contribuições para toda a rede”, disse Wallace.

tagreuters.com2019binary_LYNXMPEF9A28W-BASEIMAGE

To Top