Economy

Milho avança em Chicago após relatório do USDA; soja tem queda

Por Karl Plume

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do milho em Chicago se firmaram nesta sexta-feira, após o Departamento de Agricultura dos Estados Unidos (USDA, na sigla em inglês) reduzir suas estimativas para produtividade e safra do grão nos EUA em um relatório mensal, embora os ganhos tenham sido limitados por temores sobre a fraca demanda.

A soja recuou, à medida que o USDA manteve inalteradas suas projeções para produção e rendimentos no país, apesar do tempo ruim no verão e outono (do Hemisfério Norte), que havia levado muitos analistas à expectativa de cortes.

O trigo operou brevemente em alta, em linha com o milho, mas recuou conforme as reduções feitas pelo USDA para a produção norte-americana e do Hemisfério Sul foram mais que compensadas pelas maiores safras estimadas para a União Europeia e a região do Mar Negro.

“Não há nada nesse relatório que seja amigável ao milho”, disse Brian Hoops. “Estávamos negativos rumo a esse relatório, então agora vemos um pouco de alívio. Mas em longo prazo, há poucas razões para pensar que o milho vai iniciar uma tendência de alta.”

O contrato dezembro do milho fechou em alta de 2 centavos de dólar, ou 3,7725 dólares por bushel, em seu primeiro ganho em sete sessões. Na semana, o vencimento acumulou queda de 3,1%, sua mais acentuada baixa em nove semanas.

A soja para janeiro cedeu 5,50 centavos, para 9,31 dólares o bushel, acumulando queda de 0,6% na semana, a terceira em quatro semanas.

O vencimento dezembro do trigo recuou 2,25 centavos, a 5,1025 dólares/bushel. O contrato registrou baixa de 1,1% na semana, sua terceira consecutiva de perdas.

(Reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

tagreuters.com2019binary_LYNXMPEFA71W7-VIEWIMAGE

To Top