13º salário: é possível fazer benefício durar o ano inteiro?

42
INSS Previdência Pente-Fino Revisão Antencipação Salário Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo MEi Consignado

13º salário: é possível fazer benefício durar o ano inteiro? O fim de ano chega e com ele vem o 13º salário. Esse dinheiro extra, tão esperado por trabalhadores com carteira assinada, pensionistas do INSS ou aposentados, é garantido pela CLT (Consolidação das Leis Trabalhistas) e pode ser a solução para quem precisa colocar as finanças em dia.

Seja esse o seu caso ou não, planejar o que fazer com seu 13º é fundamental para não vê-lo desaparecer tão rápido quanto chegou à sua conta. De acordo com Breno Andrade, assessor de investimentos da Wflow – escritório especializado em Assessoria Financeira e Patrimonial credenciado à XP Investimentos – com um planejamento consciente é possível dispor deste benefício o ano todo.

Segundo o especialista, para quem tem dívidas, não há dúvidas: o 13º deve ser usado para quitá-las. Se possível, antecipe o pagamento de parcelamentos que apresentarem boa vantagem financeira, como redução de juros.

“Priorize o pagamento das dívidas em atraso e com juros maiores. As demais contas previstas no orçamento devem ser mantidas no planejamento mensal, assim o trabalhador pode investir o que sobrar de forma mais estratégica”, explica.

Outra dica é utilizar o benefício para pagar despesas extras à vista. Quem deixou o planejamento financeiro de lado ao longo do ano pode não estar preparado para as despesas extras típicas desta época, como festas e férias, além dos gastos de início de ano, como despesas escolares, IPTU, IPVA, entre outros.

“É possível utilizar parte da renda extra para negociar tudo à vista com desconto, bem como evitar entrar em novos parcelamentos. Também vale usar a criatividade: trocar a viagem internacional por um roteiro nacional, presentear com pequenas lembranças ou organizar um amigo secreto entre os familiares e amigos”,

O especialista também aponta importância de poupar parte desta renda extra. Caso não existam dívidas ou gastos emergenciais, o 13º pode ser usado para começar uma reserva de emergência e proporcionar um futuro financeiro mais tranquilo. O ideal é fazer uma ‘faxina’ no orçamento, eliminando todos os gastos supérfluos.

“É importante lembrar que o dinheiro deve trabalhar a nosso favor, e não o contrário. Por isso, aproveitar o momento para criar uma cultura de poupança e usar a renda extra para compor uma reserva financeira ou reforçar os investimentos já existentes é uma ótima opção”, alerta Andrade.

Sem dívidas ou necessidade de cobrir gastos extras, é hora de pensar no planejamento financeiro para o próximo ano. O 13º salário poderá ser inteiramente destinado à conquista de sonhos de curto, médio e longo prazo.

“Pensando no curto prazo, por exemplo, podemos listar todas as despesas extras e dividir em 12 parcelas. Este é o valor que devemos aplicar mensalmente para, ao final de um ano, termos dinheiro suficiente para arca com esses gastos sem mexer no 13º salário”, finaliza.