Liverpool sofre, mas vence mexicanos e revê Flamengo na final do Mundial
Esporte

Liverpool sofre, mas vence mexicanos e revê Flamengo na final do Mundial

portalmixvalenoticias-1280x728-1

DOHA, QATAR (FOLHAPRESS) – O Liverpool sofreu, correu riscos, mas com os titulares em campo, venceu o Monterrey por 2 a 1 nesta quarta (18), em Doha, e avançou para a final do Mundial de Clubes.
O time inglês enfrenta o Flamengo no sábado (21), pelo título. O gol da vitória foi marcado por Roberto Firmino aos 45 do 2º tempo.
Apesar do discurso de que valorizaria a competição e que esta seria uma prioridade do Liverpool, Jurgen Klopp mandou a campo uma equipe quase reserva.
Dos titulares, apenas o goleiro Alisson, o lateral-esquerdo Robertson e o atacante Salah foram a campo desde o início. O volante Milner, que se alterna entre titular e reserva, começou a partida, mas na ala direita. Henderson, meia, entrou como zagueiro. Ele jamais havia atuado nessa posição.
Não escalar Salah seria um duro golpe para a organização do torneio. O egípcio, um dos maiores ídolos muçulmanos do esporte, é o principal nome do torneio no Qatar e motivo para o Khalifa International Stadium ter quase lotação máxima (foram 45.416 pessoas de uma lotação de 50 mil), o que não aconteceu no confronto entre Flamengo e Al-Hilal.
Mesmo com o time recheado de reservas e com Mané e Firmino no banco, o Liverpool marcou primeiro -em passe magistral de Salah para Keita anotar- e teve outras chances. Quase todas com o autor do gol, que aparecia por trás da zaga sem marcação.
Com seu sistema de troca de passes constantes e deslocamentos, os ingleses criavam problemas para o Monterrey, mas dava espaços. Sem o zagueiro Virgil van Dijk, os europeus eram frágeis na área. Os mexicanos empataram com o argentino Rogélio Funes Mori, após rebote de Alisson.
O jogo caiu no segundo tempo e, a partir dos 20min, Klopp começou a colocar mais titulares. Entraram o atacante Mané e o lateral Alexander-Arnold. Firmino entrou no final.
As duas equipes tinham espaços para atacar, mas faltava sempre precisão no passe final. Salah era bem marcado pelos defensores Sanchez e Montes.
Origi teve uma oportunidade aos 27min, mas não conseguiu acertar a direção do gol. Antes disso, Keita ficou de frente para o goleiro, mas chutou na direção dele e não no canto.
A condição física do time mexicano foi se deteriorando no final do jogo, e o time começou a ser pressionado cada vez mais pelo Liverpool. Mas o Monterrey parecia que resistiria e levaria o jogo para a prorrogação. Só parecia.
No minuto final, jogada de Salah seguida de cruzamento de Alexander-Arnold deixou Firmino em condições de desviar para o gol e colocar os ingleses na decisão.

To Top