Número de mortos por vírus na China sobe para 17; cresce preocupação pelo mundo
Asia

Número de mortos por vírus na China sobe para 17; cresce preocupação pelo mundo

Por Cate Cadell e David Stanway

PEQUIM/XANGAI (Reuters) – O número de mortes provocadas por um novo vírus descoberto na China subiu para 17 nesta quarta-feira, aumentando as preocupações pelo mundo sobre o contágio de uma infecção suspeita de ter começado a partir de animais.

A cepa anteriormente desconhecida do coronavírus surgiu na cidade central de Wuhan e já foi detectada até nos Estados Unidos. As autoridades de saúde da China acreditam que a origem seja um mercado que vende frutos do mar de forma irregular.

O mais recente número de mortos na província de Hubei, da qual Wuhan é a capital, subiu para 17 por volta das 9h da manhã (horário de Brasília), informou a televisão estatal, citando o governo da província.

Horas antes, autoridades tinham colocado o número de mortes em 9, todas em Wuhan, e mais 470 casos confirmados na China. Segundo os novos dados, os casos confirmados na China passaram posteriormente para 544.

Ao contrário do segredo adotado em 2002-2003 sobre a Síndrome Respiratória Aguda Grave (Sars), que matou quase 800 pessoas, a China desta vez está fornecendo atualizações regulares sobre os casos para tentar minimizar o pânico, à medida que milhões de pessoas viajam pelo país e para o exterior por ocasião do feriado do Ano Novo Lunar.

“O aumento na mobilidade da população aumentou objetivamente o risco de propagação epidêmica”, disse o vice-ministro da Comissão Nacional de Saúde, Li Bin.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) iniciou uma reunião de emergência para decidir se o surto representa uma emergência de saúde global.

Após apelos de autoridades por calma, muitos chineses estavam cancelando viagens, comprando máscaras, evitando locais de aglomeração pública, como cinemas e shopping centers, e até recorrendo a um jogo de simulação online sobre a disseminação de um vírus para lidar com a situação.

“A melhor maneira de vencer o medo é enfrentá-lo”, disse um usuário da rede social chinesa Weibo.

O vírus se espalhou de Wuhan para outras partes da China e atingiu grandes centros populacionais como Pequim, Xangai, Macau e Hong Kong.

No exterior, a Tailândia confirmou quatro casos, enquanto os Estados Unidos, Taiwan, Coreia do Sul e Japão relataram um caso cada.

O presidente dos EUA, Donald Trump, disse que o Centro de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos têm um bom plano de contenção. “Achamos que vai ser muito bem respondido”, disse ele em Davos, na Suíça.

Li disse que o vírus, que pode causar pneumonia, está sendo transmitido por via respiratória. Alguns sintomas incluem febre, tosse e dificuldade em respirar.

Não existe vacina para o vírus.

Temores de uma pandemia semelhante ao surto da Sars agitaram os mercados globais, com as ações de empresas de aviação e artigos de luxo particularmente atingidas, e o iuan sofreu queda.

(Reportagem de Patricia Zengerle, Richard Cowan, Doina Chiacu, David Morgan, Jan Wolfe, Susan Cornwell, Susan Heavey, Karen Freifeld, Lisa Lambert e Tim Ahmann em Washington)

((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))

REUTERS PF ES

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG0L13G-BASEIMAGE

To Top