Milho bate máxima de 3 meses em Chicago com forte demanda por exportações dos EUA
Agro

Milho bate máxima de 3 meses em Chicago com forte demanda por exportações dos EUA

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros do milho negociados em Chicago avançaram para uma máxima de três meses nesta quinta-feira, impulsionados por uma melhora na demanda por exportações dos Estados Unidos, enquanto os preços do trigo operaram próximos da máxima de um ano e meio registrada na véspera.

A soja, por outro lado, recuou para uma mínima de um mês, à medida que operadores seguem aguardando sinais de compras de produtos agrícolas dos EUA pela China, na esteira da Fase 1 do acordo comercial entre os países.

O Departamento de Agricultura dos EUA (USDA, na sigla em inglês) não confirmou vendas agrícolas para a China desde que os países assinaram o acordo, na semana passada. A agência registrou, porém, vendas de 141 mil toneladas de milho norte-americano para destinos desconhecidos e de 143.948 toneladas para a Guatemala.

“O mercado está tentando manter as esperanças e sonhos de acelerar os negócios com a China, mas ainda faltam evidências quanto a isso”, disse Arlan Suderman, economista-chefe de commodities da INTL FCStone.

O contrato mais ativo do milho fechou em alta de 1,2%, para 3,9375 dólares por bushel, após atingir o mais alto nível desde 18 de outubro, enquanto o trigo avançou 0,3%, para 5,8050 dólares o bushel. A soja recuou 0,6%, para 9,0950 dólares/bushel.

(Reportagem de Tom Polansek em Chicago, com reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Colin Packham em Sydney)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG0M299-BASEIMAGE

To Top