Soja toca mínima de 6 semanas em Chicago após coronavírus desencadear vendas
Agro

Soja toca mínima de 6 semanas em Chicago após coronavírus desencadear vendas

Por Tom Polansek

CHICAGO (Reuters) – Os contratos futuros da soja negociados em Chicago atingiram uma mínima de seis semanas nesta sexta-feira, com os preços de milho e trigo também recuando, à medida que o avanço do coronavírus pela China desencadeou vendas de bases amplas.

Os Centros de Controle e Prevenção de Doenças dos Estados Unidos confirmaram um segundo caso do novo vírus em Chicago, ampliando o nervosismo depois que o surto na China matou 26 pessoas e infectou mais de 800.

É esperado que o vírus afete o crescimento econômico do país asiático, maior importador de soja do mundo, após meses de preocupações relacionadas às disputas comerciais com os EUA. Na mesma toada dos grãos, os mercados acionários e outras commodities, como petróleo e cobre, também enfraqueceram.

“É uma fuga dos riscos (“risk-off”) em todo lugar”, disse Ted Seifried, estrategista-chefe de mercados de agronegócios do Zaner Group.

O contrato mais ativo da soja fechou em queda de 0,8%, a 9,02 dólares por bushel, tendo atingido o menor nível desde 12 de dezembro.

O trigo recuou 1,5%, para 5,7350 dólares o bushel, enquanto o milho cedeu 1,8%, para 3,8725 dólares/bushel.

(Reportagem de Tom Polansek em Chicago, com reportagem adicional de Gus Trompiz em Paris e Naveen Thukral em Cingapura)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG0N274-BASEIMAGE

To Top