Powell diz que Fed está pronto para agir contra riscos advindos de coronavírus
Economia

Powell diz que Fed está pronto para agir contra riscos advindos de coronavírus

Por Howard Schneider

(Reuters) – O chairman do Federal Reserve, Jerome Powell, disse nesta sexta-feira que o banco central “agirá conforme apropriado” para apoiar a economia diante dos riscos da epidemia de coronavírus, embora tenha ressalvado que a economia continua em boa forma.

“Os fundamentos da economia norte-americana permanecem fortes”, disse Powell em comunicado divulgado em meio a uma contínua onda de vendas nas bolsas de valores globais e conforme os mercados nos EUA caminhavam para a pior semana desde 2008.

“No entanto, o coronavírus apresenta riscos crescentes para a atividade econômica. O Federal Reserve está monitorando de perto os desenvolvimentos e suas implicações para as perspectivas econômicas. Usaremos nossas ferramentas e agiremos conforme apropriado para apoiar a economia.”

A declaração –sinalizando a disposição do Fed de agir se a emergência de saúde causada pela doença conhecida como COVID-19 continuar a se espalhar e impactar a economia– veio em resposta às crescentes expectativas de que o Fed cortará as taxas de juros em sua próxima reunião de março.

As ações reduziram brevemente as perdas após os comentários de Powell, e operadores de futuros de taxas de juros reforçaram apostas de que o banco central dos EUA reduzirá as taxas de juros em 0,50 ponto percentual na sua reunião de meados de março e outro 0,50 ponto até julho.

“O risco econômico criado pelo COVID-19 levará o Fed a cortar taxas nesta primavera (Hemisfério Norte)”, disse o economista do Northern Trust Carl Tannenbaum.

Até que que Powell falasse, as autoridades do Fed se concentraram amplamente no fato de que o surto de vírus não parecia prejudicar os dados econômicos dos EUA, e a maioria sinalizou que esperavam que o surto fosse contido e que qualquer dano econômico fosse modesto.

Nesta sexta-feira, no entanto, os investidores estavam prevendo a ação do Fed com tanta certeza que poderia ser difícil para o banco central não agir por temor de que frustrar essas expectativas pudesse causar danos por si só.

A promessa de Powell de “agir conforme apropriado” ecoa uma frase usada por ele pela primeira vez em junho de 2019, quando o mercado sentia os riscos das incertezas nas políticas comerciais.

O Fed pulou um corte nas taxas de juros na reunião que ocorreu duas semanas depois, mas promoveu uma redução de 0,25 ponto percentual em julho e mais dois cortes dessa magnitude nas reuniões subsequentes.

Desta vez, ao caracterizar o vírus como apresentando riscos “em evolução” e dizendo que o Fed usará suas ferramentas para “apoiar” a economia, a chairman do Fed pareceu deixar aberta a porta para ações potencialmente maiores e mais rápidas, se necessário.

Foi assim que aparentemente investidores no mercado de contratos futuros de taxas de juros do Fed entenderam.

Agora, eles estão precificando mais de 80% de chance de um novo intervalo alvo do Fed de 1% a 1,25% para os custos de empréstimos de curto prazo até 18 de março, quando o Fed se reunir, abaixo do atual intervalo de 1,5% a 1,75%. Os preços também mostram que operadores esperam que as taxas caiam para a faixa de 0,5% a 0,75% até julho.

(Reportagem de Howard Schneider e equipe de economia dos EUA)

tagreuters.com2020binary_LYNXNPEG1R23I-BASEIMAGE

To Top