STF suspende cortes do Bolsa Família no Nordeste durante pandemia de coronavírus
Benefícios

STF suspende cortes do Bolsa Família no Nordeste durante pandemia de coronavírus

STF suspende cortes do Bolsa Família no Nordeste durante pandemia de coronavírus

BRASÍLIA (Reuters) – STF suspende cortes do Bolsa Família no Nordeste durante pandemia de coronavírus. O ministro Marco Aurélio Mello, do Supremo Tribunal Federal (STF), concedeu nesta segunda-feira uma liminar para suspender cortes no programa Bolsa Família para Estados da Região Nordeste durante a vigência do estado de calamidade pública por causa da pandemia de coronavírus.Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

Na decisão, o ministro do STF também destacou que a liberação de recursos para novas inscrições no programa seja uniforme, consideradas todas as 27 unidades da federação.

Pagamento do Bolsa Família de março mesmo com o coronavírus(Abre numa nova aba do navegador)

Sete dos nove Estados da região Nordeste –Bahia, Ceará, Maranhão, Paraíba, Pernambuco, Piauí e Rio Grande do Norte– recorreram ao STF sob a alegação de que a diminuição dos recursos tira a efetividade do programa bancado e gerido pela União. Eles destacaram na ação que o Nordeste é uma das regiões mais atingidas com a mudança. 

Na semana passada, o governo reduziu em 158.452 o número de famílias atendidas pelo programa, sendo 96.861 da Região Nordeste. A explicação do Ministério da Cidadania é que 185 mil famílias foram incluídas, mas outras 330 mil foram retiradas por terem se emancipado, ou seja, ultrapassaram a linha de renda para serem beneficiados.

Após a decisão do STF, o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, informou em uma rede social que uma portaria assinada por ele e publicada na sexta-feira passada suspendia qualquer tipo de cancelamento do programa assistencial.

Bolsa Família: Câmara analisa proposta de abono natalino em 2020(Abre numa nova aba do navegador)

Entre as medidas previstas na portaria está a suspensão, pelo prazo de 120 dias, de bloqueios, suspensão e cancelamentos de benefícios e da averiguação e revisão cadastral, entre outros. Essa decisão levou à inclusão de mais 1,2 milhão de beneficiários no programa, após o ministério ter admitido cortes no programa este mês.

(Reportagem de Ricardo Brito)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG2M1S4-BASEIMAGE
To Top