INSS tem prazo para conceder benefício?
Benefícios

INSS tem prazo para conceder benefício?

INSS Previdência Social Reforma da Previdência Aposentadoria Benefícios FGTS Bolsa Família Nis CNIS Extrato Banco Governo Pis Pasep Pis-Pasep Aposentado Idoso FGTS Caixa Banco do Cálculo Demora Brasil Maternidade Auxílio-Reclusão Saques Pagamento Vencimento Retiradas Refis MeuINSS Auxílio-Doença Aposentadoria Por Invalidez Contribuição BPC-Loas Pensão por Morte Pensionista Empréstimo Consignado

INSS tem prazo para conceder benefício? O Instituto Nacional de Seguridade Social (INSS) deverá cumprir o prazo legal de 45 dias para a análise de requerimentos de benefícios — desde que o requerente tenha cumprido todas as exigências — sob pena de pagar multa diária. A determinação é do Tribunal Regional Federal da 2ª Região (TRF-2), que analisou uma ação civil pública movida pelo Ministério Público Federal (MPF). A decisão se estende a todas as agências do INSS no país. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

O instituto também terá um prazo máximo de 90 dias para dispor de pessoal capacitado nas agências que possa fazer o atendimento físico de todos os segurados que não consigam ou não saibam utilizar o portal “Meu INSS”. Em caso de descumprimento, a multa será de R$ 20 mil por dia.

TRF-4 usa decreto de Bolsonaro e reduz pena de preso por tráfico de armas

Procurado, o INSS informou que “ainda não foi devidamente intimado e não conhece ainda os contornos finais da decisão. Quando devidamente intimado, o INSS, em conjunto com a Advocacia-Geral da União (AGU), avaliará a interposição dos recursos cabíveis”.

Ação civil pública

A ação civil pública foi movida pelo MPF em maio do ano passado. O pedido era para que o INSS analisasse e concluísse os procedimentos para concessão de benefícios previdenciários ou assistenciais, no prazo de um mês e meio, estipulado pela própria legislação previdenciária.

Inicialmente, o MPF sugerida que fosse fixada uma multa diária de até R$ 50 mil, em caso de descumprimento. Esse valor acabou sendo reduzido. A ação civil pública foi ajuizada na 13ª Vara Federal da Seção Judiciária do Rio de Janeiro.

As razões apontadas pelo MPF para levar o INSS à Justiça foram “incapacidade na prestação de serviços de forma eficaz, insuficiência de servidores para atendimento da demanda crescente de serviços, falta de estrutura física, demora e precariedade no atendimento”. Os problemas, segundo o Ministério Público Federal, vem sendo observados desde 2016.

INSS será investigado por demorar em analisar a concessão de Benefícios

O número de queixas contra o INSS se intensificou de 2018 para cá, segundo o MPF, com a constatação de “exagerada demora na análise dos requerimentos de concessão de benefícios previdenciários e assistenciais (como salário-maternidade, pensão por morte, aposentadoria por tempo de serviço e contribuição, Loas etc)”.

Audiência na Baixada

Na terça-feira (dia 11), houve uma audiência pública na sede da Procuradoria da República em São João de Meriti, na Baixada Fluminense, para discutir as filas virtuais de segurados à espera de concessão de benefícios previdenciários e a falta de atendimento presencial em agência do INSS, além da ausência de respostas para pedidos simples e da carência de servidores nos postos.

As discussões envolveram beneficiários, representantes do INSS, sindicatos, Defensoria Pública da União e representantes das subseções da Ordem dos Advogados do Brasil na Baixada Fluminense.

MEU INSS não está atualizado: Acompanhe

To Top