Jogos Olímpicos de Tóquio são adiados para 2021, aliviando angústia de atletas

Jogos Olímpicos de Tóquio
Painel ilustra adiamento dos Jogos de Tóquio para 2021

Jogos Olímpicos de Tóquio são adiados para 2021, aliviando angústia de atletas. O Japão e o movimento olímpico decidiram nesta terça-feira adiar os Jogos de Tóquio deste ano para 2021, com a crise do coronavírus destruindo o último grande evento esportivo iminente do mundo. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

É a primeira vez em 124 anos de história das Olimpíadas que a competição é adiada, embora tenha sido cancelada algumas vezes durante as duas Guerras Mundiais do século 20.

Novo Minha Casa Minha Vida: Financiamentos de imóveis através programa(Abre numa nova aba do navegador)

Após uma ligação com o presidente do Comitê Olímpico Internacional (COI), Thomas Bach, o primeiro-ministro do Japão, Shinzo Abe, disse o evento previsto para ocorrer de 24 de julho a 9 de agosto será remarcado para 2021, o mais tardar, como prova de vitória sobre o coronavírus.

“Pedimos ao presidente Bach que considerasse o adiamento de cerca de um ano para possibilitar que os atletas disputem nas melhores condições e para tornar o evento protegido e seguro para os espectadores”, declarou Abe.

“O presidente Bach disse que concorda 100%.”

Não houve reação imediata do COI, mas seus executivos devem se reunir ainda nesta terça-feira.

Os atletas ficaram tristes, porém aliviados depois de semanas de preocupação e dificuldades para treinar devido ao isolamento provocado pela doença que já matou mais de 16.500 pessoas.

“Eu compito em uma pequena corrida de bicicleta, que não é nada comparada ao que está acontecendo no mundo no momento”, disse o norte-americano campeão olímpico de BMX Connor Fields. “Nenhum esporte é mais importante se isso significa que mais pessoas podem morrer com isso”.

Japonesa testa positivo pela 2ª vez para coronavírus(Abre numa nova aba do navegador)

A pressão sobre o COI e seu poderoso presidente Bach vinha crescendo rapidamente nos últimos dias, com Canadá e Austrália se recusando a participar se os Jogos seguissem conforme planejado.

Os atletas endossaram o adiamento, dados os riscos para a saúde e a interrupção do treinamento, uma vez que academias, piscinas e arenas estão fechadas em todo o mundo.

“Para ser sincera, fiquei cambaleando e me sentindo um pouco perdida. Mas os objetivos não desapareceram – apenas mudaram. É hora de recalibrar e disparar para o próximo desafio”, disse a nadadora bicampeã olímpica da Austrália Cate Campbell.

O surto de coronavírus ocorre em todo o mundo desde o início deste ano, infectando quase 380.000 pessoas e destruindo eventos esportivos, da Eurocopa até a Fórmula 1.

O adiamento é uma enorme dor de cabeça logística para o anfitrião Japão, que investiu mais de 12 bilhões de dólares no evento.

No entanto, uma pesquisa mostrou que cerca de 70% dos japoneses concordam com o adiamento.

A governadora de Tóquio, Yuriko Koike, disse a repórteres que os Jogos adiados ​​ainda terão a marca “Tóquio 2020”.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG2N1EU-BASEIMAGE

Caixa reduz juros e congela pagamentos aos brasileiros(Abre numa nova aba do navegador)