Açúcar bruto chega a avançar, mas termina dia em queda na ICE; café arábica salta
Africa

Açúcar bruto chega a avançar, mas termina dia em queda na ICE; café arábica salta

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE chegaram a registrar ganhos no início da sessão desta terça-feira, mas acompanharam uma reversão de tendências no mercado do petróleo ao longo do dia e fecharam em leve queda.

O café arábica, por outro lado, encerrou a sessão com forte alta, com operadores citando uma disponibilidade reduzida do produto no mercado.

AÇÚCAR

* O contrato maio do açúcar bruto fechou em queda de 0,07 centavo de dólar, ou 0,7%, a 10,38 centavos de dólar por libra-peso.

* “Ainda é melhor para as usinas brasileiras produzir açúcar do que o concorrente etanol, que é negociado na moeda local”, disse em nota o Commonwealth Bank of Australia.

* Por meio de contratos futuros da ICE em Nova York, usinas do Brasil já fixaram preços para vendas de 17 milhões de toneladas de açúcar na temporada 2020/21, ante 11 milhões de toneladas em igual período do ano anterior, disse a consultoria Archer.

* A empressa de pesquisas afirmou que apesar da recente queda nos preços, mais vendas antecipadas devem ser verificadas por usinas do Brasil, já que o real tem operado em uma mínima histórica ante o dólar.

* O açúcar branco para maio recuou 1,70 dólar, ou 0,5%, a 328,40 dólares por tonelada.

CAFÉ

* O contrato maio do café arábica fechou em alta de 3,25 centavos de dólar, ou 2,8%, a 1,1990 dólar por libra-peso, com operadores citando baixa disponilidade do produto até que as colheitas ganhem ritmo em grandes países produtores, como Colômbia e Brasil.

* O banco de investimentos Itaú BBA afirmou que fundos tendem a permanecer comprados em futuros do café arábica, à medida que o inverno se aproxima no Brasil e o risco de geadas nos cafezais sempre se manifesta.

* O Rabobank espera que o Brasil produza 67,5 milhões de sacas de 60 kg de café em 2020/21, contribuindo para um superávit global de 5,6 milhões de sacas na temporada.

* Um operador disse que o mercado global vai entrar em déficit em 2021/22, e que deve haver grande suporte para os preços em torno de 1,0300 dólar a 1,1500 dólar, dado o atual aperto no mercado, com os estoques certificados pela ICE continuando a cair.

* O café robusta para julho avançou 12 dólares, ou 1%, para 1.233 dólares por tonelada.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

To Top