Lancet diz ter preocupação com validade de dados de estudo com cloroquina
Business

Lancet diz ter preocupação com validade de dados de estudo com cloroquina

Por Michael Erman

NOVA YORK (Reuters) – A publicação médica britânica Lancet disse nesta terça-feira que tem preocupações relacionadas aos dados de um influente artigo que indicou que a hidroxicloroquina aumenta os riscos de morte em pacientes com Covid-19 –conclusão que reduziu o interesse científico pelo medicamento.

O estudo publicado pela Lancet em 22 de maio analisou cerca de 96 mil pessoas hospitalizadas com Covid-19 que foram tratadas com o medicamento, que o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, revelou ter tomado e recomendou que outros tomassem. A hidroxicloroquina também é defendida pelo presidente Jair Bolsonaro.

Vários ensaios clínicos foram suspensos após a publicação do estudo.

O artigo da Lancet, chamado “Hidroxicloroquina ou cloroquina com ou sem macrolídeo para tratamento de Covid-19: uma análise de registro multinacional”, foi um estudo observacional –o que significa que compilou dados do mundo real, em vez de realizar um ensaio clínico tradicional– e usou dados fornecidos pela empresa de análise de dados de saúde Surgisphere.

Na semana passada, a Lancet publicou uma correção do estudo sobre a localização de alguns pacientes após críticas à sua metodologia, mas disse que as conclusões não foram alteradas.

Também na semana passada, quase 150 médicos assinaram uma carta aberta enviada à Lancet questionando as conclusões do artigo e pedindo a divulgação dos comentários da revisão por pares que levaram à publicação.

“Isso não é uma situação secundária ou uma questão menor”, disse Walid Gellad, professor da Faculdade de Medicina da Universidade de Pittsburgh, que não assinou a carta, mas tem sido um crítico do estudo.

“Estamos em uma pandemia sem precedentes. Nós organizamos esses enormes ensaios clínicos para descobrir se algo funciona. E esse estudo paralisou alguns desses ensaios, além de mudar a narrativa em torno de um medicamento que ninguém sabe se funciona ou não”, afirmou.

A Organização Mundial da Saúde (OMS) suspendeu o uso da hidroxicloroquina em um grande teste clínico com pacientes de coronavírus após o estudo da Lancet. Na esteira da suspensão pela OMS, os governos da França, Itália e Bélgica também interromperam o uso do medicamento em pacientes da Covid-19.

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG51210-BASEIMAGE

To Top