Cemig poderá tomar até R$1,78 bi da Conta-Covid; Enel SP, R$1,4 bi; Light, R$1,3 bi

tagreuters com2020binary LYNXMPEG5N1FV BASEIMAGE
tagreuters com2020binary LYNXMPEG5N1FV BASEIMAGE

SÃO PAULO (Reuters) – As principais distribuidoras do país terão direito a financiamentos bilionários dentro da chamada Conta-Covid, com a unidade da Cemig <CMIG4.SA> podendo tomar até 1,78 bilhão de reais e Enel SP 1,4 bilhão de reais, conforme publicação da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) em edição extra do Diário Oficial da União.

A diretoria da Aneel aprovou em reunião nesta terça-feira valores teto e condições para uma operação que envolverá a viabilização de empréstimos de cerca de 16 bilhões de reais a distribuidoras de eletricidade devido aos impactos financeiros do coronavírus sobre o segmento.[nL1N2E01OO]

Mas os valores de cada distribuidora foram definidos mais tarde.

A Light <LIGT3.SA> também terá direito a captar recursos bilionários, com um total de até cerca de 1,3 bilhão de reais, seguida pelas unidades da CPFL <CPFE3.SA>, com 892 milhões de reais (CPFL Paulista), CPFL Piratininga (275,5 milhões de reais), enquanto a paranaense Copel <CPLE6.SA> terá direito a 884,6 milhões de reais.

Os empréstimos para as elétricas serão tomados por meio da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE) para não impactar o endividamento das empresas, com possibilidade de posterior repasse dos custos de amortização às tarifas.

A operação envolverá um grupo de bancos liderado pelo BNDES.

Veja no link abaixo os limites captação de recursos de outras distribuidoras, conforme definido pela Aneel.

http://www.in.gov.br/en/web/dou/-/resolucao-normativa-n-885-de-23-de-junho-de-2020-263039015

(Por Roberto Samora, com reportagem adicional de Luciano Costa)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG5N1FV-BASEIMAGE