Antecipação de atrasados do INSS: Acompanhe
Benefícios

Antecipação de atrasados do INSS: Acompanhe

auxílio reclusão inss

Antecipação de atrasados do INSS: Acompanhe. O STF (Supremo Tribunal Federal) concluiu que órgãos públicos, quando processados na Justiça, podem antecipar o pagamento de parte da dívida sobre a qual não cabe discussão. Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale

Essa antecipação vale para casos em que os recursos apresentados por representantes do governo (municipal, estadual ou federal) contestam apenas parte do direito exigido pelo cidadão. Desta forma, aquilo que não é alvo do recurso gera um valor incontroverso.

Como ter acesso ao “CPF Digital”?(Abre numa nova aba do navegador)

Com essa decisão, o Supremo afirmou que a Constituição permite o fracionamento de ordens judiciais de pagamento para a liberação antecipada de valores incontroversos.

O principal efeito desse julgamento deverá beneficiar segurados do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) que obtiverem revisões e concessões de aposentadorias, pensões e auxílios na Justiça Federal.

Serviços do site do Detran: Fique por dentro(Abre numa nova aba do navegador)

Precatórios e RPVs (Requisições de Pequenos Valores) podem, portanto, ser emitidos em duas etapas: a primeira para pagar atrasados considerados incontroversos e a segunda para, em caso de vitória do segurado, liquidar a dívida.

“Dentro de um Judiciário lento, especialmente nas causas previdenciárias, em que o INSS usa o recurso como forma de atrasar os pagamentos, essa decisão dá segurança e permite receber a parte incontroversa de forma mais rápida”, afirma o advogado Rômulo Saraiva.

Entre as situações em que essa liberação é benéfica para o segurado está o caso em que há discussão sobre o período de atrasados devidos. Nesse caso, há um período em que as duas partes (segurado e INSS) concordam que há o direito. Por não haver discussão, é constitucional que o cidadão receba essa parte dos atrasados.

Calculadora da Aposentadoria do INSS em novo formato(Abre numa nova aba do navegador)

O recurso julgado pelo STF é de uma ação contra o Governo do Estado de São Paulo e foi encerrado com a conclusão do plenário virtual.

To Top