Açúcar bruto toca mínima de 2 semanas na ICE; café arábica se recupera
Africa

Açúcar bruto toca mínima de 2 semanas na ICE; café arábica se recupera

tagreuters com2020binary LYNXNPEG6C1KY BASEIMAGE

NOVA YORK/LONDRES (Reuters) – Os contratos futuros do açúcar bruto negociados na ICE atingiram uma mínima de duas semanas nesta segunda-feira, à medida que as ofertas de açúcar bruto (refinado) continuam a aumentar, um sinal de enfraquecimento na demanda física.

Enquanto isso, os futuros do café arábica tiveram alta pela primeira vez em quatro sessões, recuperando parte do terreno perdido após os preços tocarem uma mínima de duas semanas na sexta-feira.

AÇÚCAR

* O contrato outubro do açúcar bruto fechou em queda de 0,18 centavo de dólar, ou 1,5%, a 11,58 centavos de dólar por libra-peso, o menor nível em duas semanas.

* O açúcar branco para agosto recuou 0,30 dólar, ou 0,1%, para 335,10 dólares por tonelada, depois de tocar uma mínima de dois meses e meio.

* “O açúcar branco, longe de estar em déficit, não é desejado. E as usinas brasileiras continuam produzindo o máximo de açúcar”, disse a corretora Marex Spectron em nota.

* A produção de açúcar do Brasil atingiu um recorde para os três primeiros meses da temporada (abril a junho), com as usinas favorecendo a fabricação do adoçante para escapar do deprimido mercado do etanol.

CAFÉ

* O contrato setembro do café arábica fechou em alta de 1,25 centavo de dólar, ou 1,3%, a 98,65 centavos de dólar por libra-peso.

* Apesar da primeira alta em quatro sessões, operadores continuam enxergando um excesso de oferta no mercado.

* “Com o clima permanecendo favorável à safra no Brasil e em outros países produtores, nós teremos amplas ofertas para atender à demanda global nos próximos dois anos”, disse Marcelo Fraga Moreira, diretor de derivativos da exportadora Veloso Green Coffee.

* Ele espera que o contrato setembro caia para um nível em torno de 90 centavos de dólar por libra-peso.

* O café robusta para setembro avançou 27 dólares, ou 2,3%, para 1.224 dólares por tonelada.

* As exportações do Vietnã, maior produtor de robusta do mundo, tiveram queda de 2% em junho ante maio.

(Reportagem de Marcelo Teixeira e Maytaal Angel)

tagreuters.com2020binary_LYNXNPEG6C1KY-BASEIMAGE

To Top