Preços do petróleo caem após acordo da Opep+ para reduzir cortes de produção
Agro

Preços do petróleo caem após acordo da Opep+ para reduzir cortes de produção

tagreuters com2020binary LYNXNPEG6F14W BASEIMAGE

Por Ron Bousso

LONDRES (Reuters) – Os preços do petróleo caíam nesta quinta-feira, depois que a Opep e outros produtores incluindo a Rússia concordaram em reduzir cortes recorde de produção a partir de agosto, embora a queda tenha sido amortecida por um aperto nos estoques globais à medida que a atividade econômica se recupera.

O petróleo Brent recuava 0,33 dólar, ou 0,75%, a 43,46 dólares por barril, às 8:16 (horário de Brasília). O petróleo dos Estados Unidos caía 0,46 dólar, ou 1,12%, a 40,74 dólares por barril.

Ambos contratos avançaram 2% na véspera, após uma forte queda nos estoques nos Estados Unidos.

A Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) e seus aliados, conhecidos como Opep+, concordaram na quarta-feira em reduzir cortes de produção a partir de agosto.

Eles reduzirão os cortes para 7,7 milhões de barris por dia até dezembro, ante um nível de 9,7 milhões de bpd que vinha sendo aplicado desde maio.

“As coisas estão voltando ao normal no mercado de petróleo”, disse o chefe de pesquisa econômica do Julius Baer, Norbert Rucker.

O ministro de Energia saudita, príncipe Abdulaziz bin Salman, disse que os cortes em agosto e setembro acabarão somando entre 8,1 milhões e 8,3 milhões de bpd, uma vez que países do grupo que produziram a mais em meses anteriores compensarão isso com cortes adicionais em agosto e setembro.

Mas os preços do petróleo devem se manter comportados, uma vez que a maior oferta dos países da Opep+ deve provavelmente ser absorvida pela recuperação da demanda, disse o presidente da empresa de análise de commodities Marketedge Co, Tsutomu Kosuge.

“Espero que o Brent se mantenha num intervalo limitado, entre 40,50 dólares e 46,50 dólares pelo próximo mês ou algo assim”, disse ele, acrescentando que tensões crescentes entre EUA e China também podem pesar sobre o sentimento do mercado.

tagreuters.com2020binary_LYNXNPEG6F14W-BASEIMAGE

To Top