Entidades da área de ciência pedem ao governo liberação de recursos para inovação
Economia

Entidades da área de ciência pedem ao governo liberação de recursos para inovação

portalmixvalenoticias

BRASÍLIA, DF (FOLHAPRESS) – A CNI (Confederação Nacional da Indústria) e entidades ligadas à área de ciência pedem a liberação de recursos do FNDCT (Fundo Nacional de Desenvolvimento Científico e Tecnológico), uma das principais fontes de financiamento de projetos nessa área.
Em manifesto, o grupo diz que há R$ 4,6 bilhões travados, mas deveriam estar sendo investidos este ano em atividades de pesquisa, desenvolvimento e inovação (PD&I) realizadas por universidades, institutos de pesquisa e empresas.
Em audiência na Câmara, realizada em junho, o ministro Marcos Pontes (Ciência, Tecnologia e Inovação) disse que 90% da verba desse fundo permaneciam bloqueados. “Temos a necessidade de uma liberação maior disso”, afirmou.
Para 2020, está prevista a liberação de R$ 600 milhões, sendo que a expectativa de arrecadação do fundo é de R$ 5,2 bilhões.
“A retenção de parte tão expressiva do FNDCT implicará para a vida dos brasileiros e para a economia do país perdas e danos pelo seu enorme impacto sobre a ciência brasileira e sobre a competitividade da indústria local”, destaca o manifesto.
O documento em favor do FNDCT é assinado pela ABC (Academia Brasileira de Ciências), Anpei (Associação Nacional de Pesquisa e Desenvolvimento das Empresas Inovadoras) e SBPC (Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência).
Segundo o documento, o bloqueio de recursos para ciência e tecnologia prejudica o combate à Covid-19 e a recuperação econômica do Brasil.
Há no Congresso e em estudo na equipe de Pontes projetos para liberação de parte desse dinheiro do fundo. Segundo o ministro, o impacto da medida nas contas públicas não é grande, especialmente diante dos efeitos do desenvolvimento da ciência e tecnologia na economia.
No manifesto, as entidades defendem a aprovação de um projeto do senador Izalci Lucas (PSDB-DF), que propõe o fim do contingenciamento dos recursos para CT&I e preserva o orçamento do FNDCT.
A ideia é que os recursos do fundo não utilizados em um ano sejam transferidos para o ano seguinte, eliminando, assim, o risco de bloqueio da verba.

To Top