ONS aumenta otimismo com demanda por energia em setembro apesar de pandemia
Economia

ONS aumenta otimismo com demanda por energia em setembro apesar de pandemia

tagreuters com2020binary LYNXMPEG8A1NZ BASEIMAGE

SÃO PAULO (Reuters) – O Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS) aumentou o otimismo quanto à demanda por energia do Brasil e agora estima um aumento de 2,1% em setembro na comparação com o mesmo mês do ano anterior, mesmo com o país ainda se recuperando dos impactos da pandemia de coronavírus.

Em meio ao relaxamento gradual de medidas de isolamento adotadas para conter a disseminação da Covid-19, o ONS divulgou expectativas de elevação de 5,8% na carga de energia da região Sul neste mês e de 5,4% no Norte, segundo boletim publicado nesta sexta-feira.

Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale e fique por dentro de mais notícias.

Na semana passada, o órgão do setor de energia previa expansão de apenas 0,5% na demanda em todo o sistema elétrico interligado, com alta de 5% no Sul e de 3% no Norte.

No Sudeste, principal centro de consumo de energia e polo de atividade econômica, o ONS espera agora aumento de 1,3% na carga na comparação com setembro do ano passado, contra recuo de 0,8% estimado na semana anterior.

A única região com retração prevista é o Nordeste, onde o ONS manteve a projeção de queda de 0,5% na carga.

O melhor desempenho previsto para o consumo de eletricidade vem após uma demanda praticamente estável na comparação anual em julho e agosto, segundo dados prévios da Câmara de Comercialização de Energia Elétrica (CCEE).

Em abril, primeiro mês inteiramente sob impacto de quarentenas adotadas em Estados e municípios brasileiros contra o coronavírus, a carga de energia desabou 12%, para depois iniciar uma recuperação gradual.

A retomada no Brasil em termos de uso de eletricidade, inclusive, tem sido mais rápida que em outros países duramente atingidos pela pandemia, como Reino Unido, França, Espanha e Itália, mostraram dados da CCEE na quinta-feira.

HIDRELÉTRICAS

O ONS projetou ainda que as chuvas nas proximidades das hidrelétricas, principal fonte de geração do Brasil, devem em setembro atingir 72% da média história no Sudeste, onde estão os principais reservatórios. Na semana anterior, a estimativa era de 77%.

No Nordeste, segunda região em reservatórios, as precipitações estão previstas em 68% da média histórica, mesmo número da semana passada.

No Sul, que passou por uma seca recente, as chuvas devem somar 59% da média, segundo o ONS, contra 72% na previsão anterior.

(Por Luciano Costa)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8A1NZ-BASEIMAGE

To Top