Hong Kong reabrirá bares, piscinas e parques temáticos após exames em massa
Asia

Hong Kong reabrirá bares, piscinas e parques temáticos após exames em massa

tagreuters com2020binary LYNXMPEG8E1DF BASEIMAGE

HONG KONG (Reuters) – Hong Kong reabrirá bares, piscinas e parques temáticos a partir de sexta-feira, amenizando as restrições do coronavírus depois que os exames de quase dois milhões de pessoas por meio de um programa organizado pelo governo chinês descobriu 42 casos.

O anúncio da secretária de Saúde da cidade, Sophia Chan, chega dias depois de a região administrativa especial da China reabrir academias de ginástica e locais de entretenimento e aumentar para quatro o número permitido de pessoas reunidas.

A proibição a reuniões de mais de quatro pessoas continua em vigor, assim como a proibição a visitas a praias públicas, já que as autoridades pediram cautela.

“Apelamos ao público para que não seja complacente e não abaixe a guarda”, disse Chan.

Hong Kong acumula 4.976 casos e 101 mortes do vírus que surgiu na região central da China no final do ano passado.

O afrouxamento das restrições vem na esteira de um programa liderado pela China continental para examinar 1,8 milhão de pessoas –quase um quarto da população de Hong Kong. Foram encontradas 42 infecções, entre elas cinco casos detectados pelo rastreamento de contatos.

Os casos novos diários recuaram dos três dígitos para dois ou um dígito baixo em julho, e nenhum caso novo foi relatado nesta terça-feira.

As piscinas de Hong Kong só poderão receber metade de sua capacidade, e locais de alimentação, incluindo pubs, terão que fechar à meia-noite.

Os dois parques temáticos da cidade, Ocean Park e Hong Kong Disneyland Resort, também poderão reabrir na sexta-feira, assim como centros de convenção.

O Hong Kong Disneyland, do qual a Walt Disney é sócia minoritária e a cidade a sócia majoritária, reabriu em junho e fechou no dia 15 de julho pela segunda vez neste ano por causa do vírus. O parque anunciou que não voltará a funcionar já na sexta-feira.

Ainda nesta terça-feira, autoridades anunciaram uma terceira rodada de 24 bilhões de dólares honguecongueses de um fundo de alívio do coronavírus para apoiar os negócios em dificuldades.

O valor total destinado a oferecer amparo durante a epidemia ultrapassa os 300 bilhões de dólares honguecongueses, disse o secretário das Finanças, Paul Chan.

Em agosto, o pólo financeiro reduziu sua perspectiva econômica para o ano, prevendo uma contração de 6% a 8% do PIB (Produto Interno Bruto) – a estimativa anterior era de uma contração de 4% a 7%.

(Por Farah Master)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8E1DF-BASEIMAGE

To Top