Segurados do INSS de SP ficam sem atendimento nas agências

carteira do trabalho e dinheiro
carteira do trabalho e dinheiro

Segurados do INSS de SP ficam sem atendimento nas agências. Centenas de segurados que buscaram atendimento nas agências do INSS (Instituto Nacional do Seguro Social) na capital e na Grande SP na manhã desta segunda-feira (14) voltaram para casa sem conseguir resolver as pendências para ter a renda previdenciária.

Anunciada para ocorrer a partir de ontem, a reabertura das agências em São Paulo foi barrada pela Justiça, após os servidores ingressarem com ação pedindo suspensão da medida. Os funcionários alegaram não haver segurança sanitária para retomar o atendimento. No restante do país, a reabertura foi mantida. O INSS informou que iria recorrer.

Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale e fique por dentro de mais notícias.

Em algumas agências, servidores voltaram a seus postos e orientavam os beneficiários sobre como deverá ser o atendimento. Os segurados recebiam a informação de que não haveria o atendimento esperado, mas que podiam tentar ser atendidos a distância, pelo Meu INSS ou telefone 135. Muitos deles, entretanto, já tinham tentado os canais remoto.

A doméstica Neilce Fernandes, 53, tinha agendamento no Glicério (região central) para tentar reativar o auxílio-doença. “Há mais de 15 dias estava agendado. Liguei no sábado para confirmar e disserm que não estaria fechada.”

O ajudante de serviços gerais Izaías Avelino Souza Lima, 34 anos, tinha perícia marcada na Vila Mariana (zona sul). “Estou desde fevereiro sem trabalhar e tentando receber o benefício e chego aqui e está tudo fechado. Como que vou fazer? Nem o auxílio emergencial consegui pedir.”

Mesmo em outros estados, em que as agências foram reabertas, não houve realização de perícia, pois os médicos peritos se recusaram a voltar ao trabalho, por considerarem que não havia segurança sanitária.

Adriano da Rocha foi à rua Xavier de Toledo (região central) com o cadeirante Sebastião da Silva, 66, que busca receber o benefício, mesmo sem agendamento e foi orientado a ligar no 135. (Havolene Valinhos, Laísa Dall’Agnol e Cristiane Gercina)