Minério de ferro desaba com aumento na oferta compensando otimismo com demanda
Asia

Minério de ferro desaba com aumento na oferta compensando otimismo com demanda

tagreuters com2020binary LYNXMPEG8F1PA BASEIMAGE

Por Enrico Dela Cruz

MANILA (Reuters) – Os futuros do minério de ferro desabaram nesta quarta-feira, com o índice de referência na China caindo mais que 5% em meio ao alívio em preocupações com o aperto na oferta global e com margens em queda na China impulsionando vendas.

O contrato mais negociado do minério de ferro na bolsa de commodities de Dalian, para janeiro de 2021, encerrou em queda de 5,1%, a 796,50 iuanes por tonelada, no menor nível desde 3 de agosto e na maior queda diária em quase seis meses.

Na bolsa de Cingapura, o material usado na fabricação do aço caía 3,8%, para 119,15 dólares.

A demanda por minério de ferro na China, que responde por mais da metade da produção global, se recuperou fortemente desde abril, com usinas elevando a fabricação de aço impulsionadas por medidas de apoio à economia do governo que envolvem incentivos à infraestrutura.

Isso, junto com limitações na oferta e sinais de recuperação na demanda por aço em outros lugares, havia empurrado o minério de ferro para máximas em mais de seis anos nas últimas semanas.

Mas os estoques de minério de ferro nos principais portos chineses saltaram na semana passada para o maior nível desde abril, segundo dados da SteelHome, com os últimos números mostrando aumentos nos embarques da Austrália e do Brasil.

“Os preços do minério de ferro provavelmente chegaram a seu pico no curto prazo, uma vez que as margens em queda em alto-fornos começaram a incentivar siderúrgicas a mudar dos finos convencionais para finos blendados, granulados e pelotas”, disseram analistas do Citi em nota.

Alguns analistas no entanto, incluindo os do Citi, esperam que os preços continuem sustentados em 100 dólares por tonelada até o final de 2020.

No aço, os preços também caíram nesta quarta-feira, com o vergalhão recuando 1,8% na bolsa de futuros de Xangai.

(Por Enrico dela Cruz, reportagem adicional de Min Zhang em Pequim)

tagreuters.com2020binary_LYNXMPEG8F1PA-BASEIMAGE

To Top