Segurado pode receber juros de atrasados no INSS?
Benefícios

Segurado pode receber juros de atrasados no INSS?

previdência social inss

Segurado pode receber juros de atrasados no INSS? Quem aguarda o pagamento de um precatório perdeu a oportunidade de ter uma correção melhor pelo tempo que esperou até receber o valor. Isso porque, no seu último julgamento antes do recesso, o STF (Supremo Tribunal Federal) negou o pagamento de juros entre a emissão do precatório e seu efetivo pagamento a um segurado do INSS.

Segundo a maioria dos ministros da corte, apenas a correção monetária deve ser feita, com base em um índice de inflação. Para o ministro Marco Aurélio, contrário à decisão da maioria, os segurados podem receber até 9% menos.

Baixe o Aplicativo Gratuito do Portal Mix Vale e fique por dentro de mais notícias.

Quem pode acessar o novo FGTS?(Abre numa nova aba do navegador)

Diferenças
A pedido do Agora, o Ieprev (Instituto de Estudos Previdenciários) fez os cálculos de quanto é possível receber ao processar o INSS na Justiça. Os dados mostram os valores a serem pagos para quem recebeu, em junho de 2020, um precatório que foi emitido pelo Judiciário em julho de 2018.

Os valores calculados vão de R$ 63 mil a R$ 300 mil. Utilizando a regra aprovada pelo Supremo e a correção completa, conforme solicitado pelo segurado, as diferenças podem chegar a R$ 25 mil a menos. No caso dos valores menores, de R$ 63 mil, há mais de R$ 5.000 de diferença.

R$ 63 bilhões serão sacados pelos benefícios FGTS e Pis-Pasep(Abre numa nova aba do navegador)

O aposentado que aguarda o pagamento de uma RPV (Requisição de Pequeno Valor) também será afetado pela decisão. Porém, como as RPVs são pagas, em média, em até dois meses após a liberação dos valores por parte do juiz do caso, os juros do período fazem pouca diferença no valor total a ser recebido pelo segurado.

Quem pode sacar o lucro do FGTS(Abre numa nova aba do navegador)

Já o precatório é pago, pelo menos, dois anos e meio após a data de emissão do crédito. Em 2020, o pagamento dos precatórios federais foi feito a credores cujos títulos tinham sido autuados entre 2 de julho de 2018 e 1º de julho de 2019.

To Top