17 milhões de pessoas vão receber menos parcelas do Auxílio Emergencial

Aplicativo do Celular Auxílio Emergencial
Aplicativo do Celular Auxílio Emergencial

17 milhões de pessoas vão receber menos parcelas do Auxílio Emergencial. O calendário de créditos e saques da extensão do auxílio emergencial divulgado na segunda-feira à noite confirmou o que era esperado: 17,2 milhões de brasileiros que receberam os R$ 600 não terão acesso a todas as quatro parcelas do “trezentão”. Isso porque a medida provisória que instituiu o benefício limitou o prazo de depósito a 31 de dezembro, com pagamento até 27 de janeiro do ano que vem. E com isso, os trabalhadores que tiveram o auxílio liberado em agosto (1,8 milhão de pessoas) não vão receber os R$300, que somente começam a ser pagos após o término do “seiscentão”.

Ou seja, só vão colocar a mão na grana de toda renda emergencial – cinco parcelas de R$ 600 e quatro de R$ 300, que totaliza, em média, R$ 4.200 – quem teve o primeiro depósito feito em abril. O total de beneficiados chega a 50 milhões. O dinheiro é destinado a trabalhadores informais, inscritos no Cadastro Único (CadÚnico), desempregados, e mães chefes de família.

Já os 8,6 milhões de cadastrados em maio que receberam primeira cota de R$ 600 naquele mês vão receber apenas três parcelas de R$ 300. Os de junho (5,9 milhões) terão tempo somente para duas novas parcelas. Os registrados em julho (900 mil) vão receber apenas uma cota de R$ 300, e os de agosto, nenhuma. Segundo o Ministério da Cidadania, cerca de 67,2 milhões receberam o auxílio.

E a rotina de filas continua desde a madrugada na Caixa Econômica Federal. Ontem, Wanderley Américo Nazário e a esposa Valéria foram os primeiros a chegar na agência de Ramos, Zona Norte do Rio. Para conseguir ser atendido logo, Nazário madrugou às 2h da manhã na porta do banco. A falta de cones na rua para evitar aproximação de veículos chama a atenção e provoca receio em quem tem que ficar horas e horas nas filas quilométricas: “Os carros passam muito próximos”, reclama.Crédito na poupança social
Os beneficiários que não fazem parte do Bolsa Família terão o dinheiro creditado na poupança social da Caixa hoje. Mas o saque para este grupo está autorizado somente em novembro. Os recursos, assim como o “seiscentão”, serão depositados na poupança social digital da Caixa, e os saques seguirão um calendário diferente da data de crédito. Fonte O Dia