Seleção brasileira faz últimos preparativos antes de enfrentar Peru

“Solidez, regularidade, consistência”. As palavras são de Tite, que conversou com os jornalistas em uma coletiva, de 40 minutos nesta segunda-feira (12), antes do embarque da equipe esta tarde para Lima, onde enfrentará o Peru pela segunda rodada das Eliminatórias para a Copa de 2022 (Catar). Após golear a Bolívia por 5 a 0, a expectativa do treinador passa por mais uma atuação de alto nível da seleção, independente de marcas pessoais. A escalação não foi revelada, mas a base que jogou na última sexta, na Arena do Corinthians, deve ser mantida. Mudança certa é que a braçadeira de capitão vai para o zagueiro Thiago Silva.

“Não estou pensando muito nos 50 jogos, penso numa ideia de futebol e que a equipe jogue muito. Que tenha a consciência que tem que criar e fazer gol, ser dura e dificultar ao máximo o adversário, se possível não tomar gol e que traduza isso em vitórias”, analisou Tite, que tem 35 vitórias, 10 empates e apenas quatro derrotas à frente da Seleção, uma delas contra o adversário desta terça em uma partida amistosa, em setembro de 2019. “O desafio é diferente, com uma equipe de nível técnico superior, físico superior, e um desafio para nós: buscar repetir um padrão. Talvez não com a mesma força técnica. Vamos enfrentar um adversário mais forte em circunstâncias mais fortes”, enfatizou o treinador.

Neymar e Thiago Silva

Quem também está perto de uma marca histórica é Neymar. O atual camisa 10 do Brasil tem 61 gols e pode alcançar Ronaldo Fenômeno, se fizer mais um, no hall dos artilheiros, onde Pelé reina com 77 em 92 partidas segundo estatísticas da Fifa. “Tenho certeza de que se aparecer outro em condições melhores ele vai dar a bola. Objetivos individuais, quando agregam a equipe, são bons. Não é pecado fazer gol, não é pecado chegar numa marca”, explicou Tite, destacando que o atacante treinou normalmente nesta segunda, na última atividade da seleção no CT Joaquim Grava, sem apresentar nenhum problema físico.

O rodízio da função de capitão segue firme. Após Casemiro, a vez agora, diante do Peru, pertence a Thiago Silva. Tite explicou que há muitas lideranças no grupo e que ainda não há nenhuma definição sobre se ter um capitão fixo. Sobre a possibilidade de o zagueiro de 36 anos estar na Copa, o técnico elogiou o atleta, que trocou recentemente o PSG (França) pelo Chelsea (Inglaterra). “Jogando em alto nível, o lado humano, os valores morais que têm o credenciam a isso. O que vai dizer onde ele vai, o tempo, é o desempenho”.