Bolsas de NY fecham em baixa, com foco em vacina, Apple, balanços e pacote fiscal

As bolsas de Nova York fecharam em baixa nesta terça-feira, 13, em um pregão marcado pela volatilidade, após um rali na sessão de ontem. Um evento realizado pela Apple para anunciar o iPhone 12 gerou oscilações na ação da empresa, o que pesou nos índices acionários. Além disso, prevaleceu a cautela no mercado em meio a paralisações em estudos para vacinas e medicamentos contra a covid-19 e ao impasse fiscal nos Estados Unidos. Os investidores também focaram no início da temporada de balanços corporativos.

O Dow Jones recuou 0,55%, a 28.679,81 pontos, o S&P 500 caiu 0,63%, a 3.511,93 pontos, e o Nasdaq perdeu 0,10%, a 11.863,90 pontos.

“O índice S&P 500 abriu um pouco mais fraco na manhã desta terça-feira, após quatro dias consecutivos de alta, embora o Nasdaq esteja em alta, enquanto os participantes do mercado avaliam uma combinação desafiadora de balanços, eleição, conversas sobre estímulos e covid-19”, escreveram analistas da corretora americana LPL Financial no começo do pregão.

Durante a tarde, porém, após oscilar, o Nasdaq também se firmou em baixa, pressionado pela ação da Apple e pela informação de que a farmacêutica Eli Lilly interrompeu os testes de um tratamento contra a covid-19 após reguladores dos EUA levantarem questionamentos sobre potenciais riscos. A ação da companhia recuou 2,81%. Antes, a Johnson & Johnson já havia informado a paralisação de seus estudos de uma vacina experimental para o coronavírus.

“Os mercados têm um pouco de sentimento de aversão a risco hoje. O rali de ontem desencadeado pelo setor de tecnologia perdeu força com as manchetes negativas sobre vacinas”, destacaram analistas do Brown Brothers Harriman (BBH), um banco de investimentos americano.

O mercado manteve o foco também nas tratativas em Washington por mais estímulos fiscais. A presidente da Câmara dos Representantes, Nancy Pelosi, afirmou em uma carta aos democratas que a proposta do governo de Donald Trump é “significativamente aquém” das demandas geradas pela pandemia. “Apesar da retomada das negociações fiscais na semana passada, um acordo pré-eleitoral continua improvável”, avalia o Citigroup.

Entre as empresas que divulgaram balanço hoje, JPMorgan caiu 1,62%, Citi recuou 4,80%, Johnson & Johnson cedeu 2,29%, Delta Air Lines registrou baixa de 2,67% e BlackRock subiu 3,91%. A Amazon, por sua vez, avançou 0,02%, no primeiro dos dois dias de seu evento Prime Day. Já a Boeing registrou perdas de 3,11%, após informar que não recebeu nenhuma encomenda de aeronave em setembro.